Arturo Paoli: a fé só cresce com a caridade

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • A ditadura do sr. Guedes. Artigo de Vladimir Safatle

    LER MAIS
  • Um estranho casamento: neoliberalismo e nacionalismo de direita

    LER MAIS
  • "Nunca, nunca encobrir a realidade. Dizer sempre: 'É assim'”. Papa Francisco recebe a redação da revista jesuíta Aggiornamenti Sociali

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Dezembro 2013

Não é porque você recita o credo e adere a ele racionalmente que você pode dizer que tem fé. A fé só cresce com a caridade.

Publicamos aqui uma recente homilia do frei Arturo Paoli, que completou 101 anos no dia 29 de novembro. O texto foi publicado no blog Sperare per Tutti, 29-11-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

Jesus nos fala de fé: o que é essa fé? É uma força interna, que nos ajuda não a viver despreocupadamente sem um projeto, mas sim na verdade. Cada um de nós que vem ao mundo é uma pessoa, um ser, uma força com a qual Deus conta. Uma força que vai rumo ao amor. Nós somos chamados hoje a colaborar com uma força de caridade seja porque este mundo nos apresenta muitas misérias, muitos sofrimentos, muitos vazios, seja porque o papa nos dá o exemplo descendo às ruas como guia para aqueles que sofrem. Em Assis ele também nos recomendou a sermos pobres, porque a nossa fé não é uma força estável, mas é uma energia que se torna forte quando desemboca na caridade. É isso que o nosso papa quer demonstrar indo ao encontro de pessoas que não são crentes na fé, mas manifestam uma força de caridade e de inteligência na compreensão do mal e do sofrimento.

O papa tem uma visão ampla, não vai apenas ao encontro dos pobres, das pessoas que precisam de ajuda, mas também se alia com aquelas pessoas que têm uma fé implícita, que declaram não poder chegar à fé teórica, porque as suas ideias se opõem a ela, mas, de fato, vivem o amor aos outros. Eu penso que o pensamento do papa é este: a fé deve se tornar caridade, alteridade, deve ter superado todas as formas de egoísmo. Não é somente catecismo, é a coragem de vencer o nosso egoísmo, de não acreditar que se tem a caridade por ter dado alguns trocados.

A caridade é algo que explode, que nos questiona por dentro profundamente, que nos toca no peito: o que você faz pelo seu irmão? Você venceu o seu egoísmo, essa grave doença que a maior parte dos homens carrega dentro de si? Você superou esse adversário tenaz? Então você pode dizer que tem a fé. Não é porque você recita o credo e adere a ele racionalmente que você pode dizer que tem fé. A fé só cresce com a caridade. E esse é o grande ensinamento do Evangelho que o Papa Francisco atualiza através da prática da sua vida.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Arturo Paoli: a fé só cresce com a caridade - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV