O Papa Francisco e os Legionários de hoje

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Não posso me calar

    LER MAIS
  • Estudantes, trabalhadores e sonhadores. Quem eram os jovens que morreram após ação da PM em baile funk

    LER MAIS
  • O fim do indivíduo. Viagem de um filósofo à terra da inteligência artificial

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

21 Outubro 2013

Os Legionários de Cristo, em meio a suas batalhas, anunciaram recentemente que um encontro do capítulo geral será realizado com início no dia 8 de janeiro, definindo-o como o próximo passo da sua recuperação dos escândalos em torno ao seu fundador, o falecido padre mexicano Marcial Maciel Degollado.

A reportagem é de John L. Allen Jr., publicada no sítio National Catholic Reporter, 18-10-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Na semana passado, um novo "soluço", embora relativamente menor, surgiu com as reportagens que afirmavam que o ex-reitor de uma universidade dos Legionários em Roma, o padre Paolo Scarafoni, está entre as pessoas envolvidas em uma investigação civil italiana acerca da manipulação dos concursos de cargos de ensino. (Os Legionários emitiram uma declaração dizendo que ninguém lhes informara de que ele é um dos alvos.)

Na verdade, a situação tem pouco a ver com os Legionários. A acusação é de que uma rede de "sábios" italianos influentes conspiraram para se certificar de que seus protegidos, em alguns casos seus próprios filhos, obtivessem cargos de ensino em uma série de universidades, apesar do fato de que esses trabalhos deveriam ser concedidos com base em concursos abertos.

É uma história suculenta para os italianos, principalmente porque cinco desses supostos "sábios" também são juristas nomeados pelo primeiro-ministro Enrico Letta para assessorar o governo sobre a reforma constitucional.

Um dos câmpus supostamente envolvidos é o da Universidade Europeia de Roma, fundada pela Legião de Cristo em 2004. Resta saber se as acusações têm qualquer mérito e em que medida Scarafoni, que deixou o cargo de reitor no dia 11 de setembro, pode estar envolvido.

A Legião se comprometeu a cooperar plenamente com a investigação italiana, e eles provavelmente farão bem seguindo em frente nesse sentido.

Até agora, Francisco não parece ter qualquer preconceito contra a ordem. No dia 30 de agosto, ele nomeou um proeminente legionário chamado padre Fernando Vergez, anteriormente chefe do departamento de telecomunicações do Vaticano, como o novo número 2 do governo do Estado da Cidade do Vaticano. O papa tornou Vergez bispo na terça-feira.

Essa benevolência poderia desaparecer, no entanto, se Francisco tivesse a impressão de que o passado da Legião realmente não está no passado.

Aqui está a íntegra da declaração dos Legionários:

"Com relação a histórias relatadas por alguns jornais, a Universidade Europeia deseja comunicar que, no momento, nenhuma informação chegou a ela sobre o envolvimento do ex-reitor Pe. Paolo Scarafoni LC em uma investigação das autoridades de Bari sobre concursos manipulados. Para ser preciso, o reitor Scarafoni, no que diz respeito ao concurso em questão, aprovou um atraso na sua conclusão até o dia 17 de junho de 2011. O concurso, de fato, nunca aconteceu. A Universidade Europeia, confiante na correção das ações do reitor Scarafoni, está pronta para cooperar com as autoridades investigadoras a fim de trazer luz à verdade da situação".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Papa Francisco e os Legionários de hoje - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV