Um Stroessner é candidato para a ONU

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Santa Teresa de Jesus: inquieta, andarilha, desobediente e muito mais...

    LER MAIS
  • COP26. Kerry reduz as expectativas sobre a cúpula de Glasgow: “Rumo a compromissos ainda insuficientes para alcançar…”

    LER MAIS
  • Diocese Anglicana no Paraná sagrará bispa coadjutora em Curitiba

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Caroline | 17 Outubro 2013

O presidente Cartes indicou que não cabe a ele julgar Stroessner Domínguez (foto). Vítimas da ditadura e organizações defensoras dos direitos humanos no Paraguai rechaçaram e repudiaram sua eventual nomeação.

A reportagem é publicada no jornal Página/12, 16-10-2013. A tradução é do Cepat.

 
Fonte: http://goo.gl/eCUooP  

A possibilidade de que Alfredo Stroessner Domínguez, neto do falecido ditador, seja designado embaixador das Nações Unidas disparou uma polêmica no Paraguai. Inicialmente, trata-se de uma decisão que envolve o presidente Horacio Cartes. O presidente surpreendeu a opinião pública ao admitir que Goly Stroessner, como é conhecido em seu país, é um dos candidatos para tal cargo. Cartes também assegurou que seria injusto deixar de considerá-lo para este cargo. O avô de Goly governou o Paraguai de forma corrupta e despótica entre 1954 e 1989, quando foi deposto após anos de ditadura.

O historiador Jorge Rubiani questionou ontem, em um artigo publicado no jornal ABC Color, a possível nomeação do neto de Stroessner. Entre outras coisas, justificou esta decisão na necessidade de distanciar definitivamente o Paraguai da imagem de “pouco respeitável” que deixou “o longo, tumultuoso e vergonhoso reinado de Stroessner”. Mais ainda – acrescentou – quando a embaixada que possa vir a lhe ser confiada é perante as Nações Unidas, perante todos os países do mundo. Cartes, de sua parte, indicou que não é ele quem deve julgar Stroessner neto, e acrescentou: “Eu não estou enviando (à ONU) o avô”.

Como era de se esperar, vítimas da ditadura e organizações defensoras dos direitos humanos no Paraguai rechaçaram e repudiaram essa possibilidade. O diretor da Direção de Reparação e Memória Histórica do Paraguai, Rogelio Goiburú, filho de um desaparecido durante a ditadura, manifestou que, ainda que o neto não seja responsável diretamente sobre os crimes cometidos durante a ditadura paraguaia, “defende constantemente seu avô, fazendo apologia do delito e legitimando crimes contra a humanidade”. “Que peça desculpas públicas e diga que seu avô foi um torturador e um assassino, que colabore com as investigações sobre as centenas de desaparecidos. Neste dia acreditaremos que está arrependido e que merece ser candidato do Paraguai em algum órgão internacional”, observou Goiburú. O Chanceler paraguaio, Eladio Loizaga, disse que os antecedentes pessoais são uma coisa e os familiares outra, ao admitir que se estuda a candidatura de Goly para representar o país.

Entretanto, o secretario geral da Coordenadoria de Direitos Humanos do Paraguai (Codehupy), Enrique Gauto Bozzano, ressaltou que é lamentável que nesta altura dos acontecimentos o Estado paraguaio proponha um familiar do ditador. “Será muito mais preocupante se chegar a se concretizar sua nomeação. Transmitiria uma mensagem à comunidade internacional muito forte no sentido de que, de alguma forma, estaria dizendo que o governo de Stroessner foi positivo”, manifestou Gauto.

No ano passado, Goly Stroessner foi o centro de uma polêmica por sua pretensão de repatriar ao Paraguai os restos mortais do ditador, que faleceu no Brasil, em agosto de 2006.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um Stroessner é candidato para a ONU - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV