Nota Pública contrária ao acordo de tecnologia nuclear entre o Japão e o Brasil

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Cardeal: a primeira pergunta que Deus faz não é sobre orientação sexual, mas sobre o cuidado com os pobres

    LER MAIS
  • Cardeal espanhol: ‘O comunismo marxista … renasceu’ no país

    LER MAIS
  • O silêncio dos teólogos. Custódia da comunhão e medo cúmplice

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Setembro 2013

Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares, um movimento que é composto por 58 organizações brasileiras, publicam nota criticando a relação entre Brasil e Japão no que concerne à política nuclear.

Eis a nota.

Somos contrários ao acordo de tecnologia nuclear entre o Japão e o Brasil

Os jornais noticiaram que o governo japonês vai assinar um acordo com o governo brasileiro para preparar o caminho para a exportação de usinas nucleares japonesas para o Brasil.

Passados mais de dois anos do acidente nuclear de Fukushima, sua verdadeira causa permanece desconhecida, o que nos obriga a uma profunda revisão da tecnologia nuclear japonesa. Não é por outra razão que a opinião pública no Japão tem se mostrado contrária não somente à construção de novos reatores, mas também à reativação dos existentes.

As usinas de Fukushima ainda estão liberando radioatividade no meio ambiente e o governo japonês não consegue controlar essas contaminações.  Assim, o Japão está causando sérios danos para o mundo.

Como o governo pode apoiar a construção de usinas nucleares fora do Japão em tal situação? Isto só pode ser entendido como uma maneira de dar uma saída para a indústria nuclear japonesa, impedida de construir novas usinas no seu país.

No Brasil, cresce o temor de acidentes em suas usinas nucleares de Angra dos Reis, localizadas entre as duas maiores cidades brasileiras, Rio de Janeiro e São Paulo. Ao mesmo tempo, cresce a pressão para que se passe a usar fontes de energia menos perigosas, para atender as necessidades do país em eletricidade.

Existem outras formas do Japão contribuir para a solução dos problemas de energia do Brasil e do mundo – por exemplo, pela cooperação em torno de energias renováveis.

As organizações da sociedade civil japonesa e brasileira, abaixo assinadas, são contrárias ao acordo anunciado, entre o Brasil e o Japão, em torno da tecnologia nuclear.

13 de setembro de 2013.

A nota foi publicada ontem, 13-09-2013, conforme informa, a seguir, a Coalização.

No dia 13 de setembro de 1987 ocorreu na cidade de Goiânia, no Brasil, um grave acidente radiológico, com grande difusão de radioatividade.

No 26º, aniversário dessa tragédia, 13 de setembro de 2013, 114 organizações da sociedade civil japonesa, 107 organizações brasileiras e 32 Prêmios Nobel Alternativo, solidarizando-se com suas vítimas, assim como com as vítimas dos atuais vazamentos de radioatividade da usina nuclear de Fukushima, divulgarão uma Declaração conjunta, contrária a um eventual acordo nuclear entre o Brasil e o Japão, por considerarem que a opção nuclear para gerar energia elétrica deve ser definitivamente abandonada.

Essa Declaração será entregue simultaneamente no Brasil e no Japão, nesta sexta feira 13 de setembro, juntamente com a lista completa dos seus signatários, aos Governos, Consulados e Embaixadas desses dois países.

No Brasil as entregas se darão nos seguintes locais e horários:

- em Brasília, às 13 horas – Embaixada do Japão, na SES - Avenida das Nações, Q.811, lote 39 e às 14 horas no Palácio do Planalto., às 14,00 horas (da Embaixada seguimos para fazer uma entrega).

- em São Paulo, haverá um ato às 12,30 nas escadarias da Fundação Cásper Libero – TV Gazeta, na Avenida Paulista 900, e a entrega ao Consulado será feita às 13,30, na sua entrada da rua Eugenio de Lima 424.

- em Porto Alegre, às 14 horas, na Av. João Obino, 467  (Petrópolis), Porto Alegre – RS (contato: Eliege Fante, Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

- em Recife: às 12 horas no Consulado do Japão, à R. Padre Carapuceiro, 733 – 14º andar. Ed. Empresarial Center I, Boa Viagem (contato: Heitor Scalambrini Costa Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)  

- em Curitiba, em horário a ser fixado, à Rua Marechal Deodoro 630, 18º andar (Shopping Itália), Curitiba – PR (contato: Zuleica Nycz – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

- em Salvador, a Declaração será entregue ao Cônsul Honorário do Japão às 16 horas do dia 12, à rua Campinas de Brotas, 104, Brotas, Salvador (contato: Zoraide Vilas Boas – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

No Japão, a entrega à Embaixada Brasileira será às 15 horas do dia 13 (Endereço: 2-11-12 Kita Aoyama, Minato-ku, Tokyo) e haverá uma manifestação em frente ao Gabinete do Primeiro Ministro das 16 às 18 horas (contato:  INYAKU Tomoya Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

O texto da Declaração está reproduzido abaixo. A lista de signatários estará disponível no site da Coalizão (www.brasilcontrausinanuclear.com.br), a partir de 6ª. feira dia 13.  

Maiores informações escrever a Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou a Chico Whitaker (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

Somos contrários ao acordo de tecnologia nuclear entre o Japão e o Brasil

A Declaração, contra um eventual acordo nuclear Brasil-Japão, será entregue no dia 13 de setembro de 2013, concomitantemente no Brasil e no Japão, aos governos desses países e às suas embaixadas e consulados. O dia 13 de setembro é a data do 26º. aniversário do mais grave acidente radiológico ocorrido no mundo, com um aparelho de radioterapia abandonado em Goiânia, Brasil.

Essa Declaração foi subscrita por 86 organizações da sociedade civil japonesa e 58 da sociedade civil brasileira, e recebeu o apoio de 30 Prêmios Nobel Alternativo, de 20 países (ver nomes abaixo).

Em São Paulo ela será entregue às 12 horas do dia 13 ao Consulado do Japão (Avenida Paulista, 854).

Bem-vindos todos que quiserem participar desse protesto.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nota Pública contrária ao acordo de tecnologia nuclear entre o Japão e o Brasil - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV