''Um dia trágico para a nossa nação'': os bispos dos EUA e o casamento gay

Revista ihu on-line

Veganismo. Por uma outra relação com a vida no e do planeta

Edição: 532

Leia mais

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Mais Lidos

  • Estive em 26 Universidades dos EUA e ninguém pensa duas vezes antes de definir Bolsonaro: “Fascista”

    LER MAIS
  • Como a internet está matando a democracia

    LER MAIS
  • O encadeamento do racismo estrutural

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Junho 2013

As decisões da Suprema Corte dos Estados Unidos do dia 26 de junho, que derrubaram parte do Defense of Marriage Act e que se recusaram a se pronunciar em mérito a uma objeção à Proposição 8 da Califórnia, marcam "um dia trágico para o matrimônio e para a nossa nação", disseram o cardeal Timothy Dolan, de Nova York, presidente da Conferência dos Bispos dos EUA (USCCB, na sigla em inglês), e Dom Salvatore Cordileone, arcebispo de San Francisco, presidente da Subcomissão Episcopal para a Promoção e Defesa do Matrimônio.

A declaração foi publicada no sítio da USCCB, 26-06-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

Hoje é um dia trágico para o matrimônio e para a nossa nação. A Suprema Corte cometeu uma profunda injustiça com o povo norte-americano, derrubando em parte o Defense of Marriage Act federal. A Corte entendeu de forma equivocada. O governo federal deve respeitar a verdade de que o matrimônio é a união de um homem e de uma mulher, mesmo onde os Estados não o fazem. A preservação da liberdade e da justiça requer que todas as leis, federais e estaduais, respeitem a verdade, incluindo a verdade sobre o matrimônio.

Também é lamentável que a Corte não aproveitou a oportunidade para defender a Proposição 8 da Califórnia, mas, ao contrário, decidiu não legislar sobre o assunto. O bem comum de todos, especialmente das nossas crianças, depende de uma sociedade que se esforce para defender a verdade do matrimônio. Agora é hora de redobrar os nossos esforços para testemunho essa verdade. Essas decisões fazem parte de um debate público de grandes consequências. O futuro do matrimônio e do bem-estar da nossa sociedade estão suspensos na balança.

O matrimônio é a única instituição que reúne um homem e uma mulher para toda a vida, que providencia a qualquer criança que nasça da sua união o fundamento seguro de uma mãe e de um pai.

Nossa cultura tomou como evidente por muito tempo o que a natureza humana, a experiência, o bom senso e o sábio desígnio de Deus confirmam: a diferença entre um homem e uma mulher tem importância, e a diferença entre uma mãe e um pai tem importância. Embora a cultura tenha falhado de muitas formas em fortalecer o matrimônio, essa não é uma razão para desistir. Agora é hora de fortalecer o matrimônio, não de redefini-lo.

Quando Jesus ensinou sobre o significado do matrimônio – a união por toda a vida e exclusiva do esposo e da esposa –, ele apontou para "o início" da criação da pessoa humana por parte de Deus como masculina e feminina (veja-se Mateus 19). Diante dos costumes e das leis da sua época, Jesus ensinou uma verdade impopular que todos podiam entender. A verdade do matrimônio perdura, e nós vamos continuar a proclamá-la corajosamente com confiança e caridade.

Agora que a Suprema Corte emitiu suas decisões, com renovado propósito, convocamos todos os nossos líderes e as pessoas desta boa nação a ficarem firmes juntos na promoção e na defesa do significado único do matrimônio: um homem, uma mulher, por toda a vida. Também pedimos orações para que as decisões da Corte sejam revistas e as suas implicações, esclarecidas.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

''Um dia trágico para a nossa nação'': os bispos dos EUA e o casamento gay - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV