Com aquecimento global, Ártico se tornará emissor de carbono, alertam cientistas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desgaste do discurso evangélico

    LER MAIS
  • Outro papa. Ratzinger, sua renúncia e o confronto com Bergoglio

    LER MAIS
  • ‘Eu serei sempre minoria’, diz padre Júlio sobre sua vocação em ajudar pobres e oprimidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 25 Março 2013

Uma equipe internacional de pesquisadores liderada pelo Conselho Nacional de Pesquisa, da Espanha (CSIC, na sigla em espanhol), analisou o equilíbrio metabólico dos plânctons do Ártico e demonstrou que o aquecimento global pode transformar essa parte do mundo uma fonte de dióxido de carbono (CO2).

A reportagem é publicada pelo jornal O Globo, 26-03-2013.

Os resultados do trabalho, coletados em dois artigos publicados na revista Biogeosciences, são o resultado de uma série de oito pesquisas oceanográficas realizadas entre 2007 e junho de 2012.

"Resolver o papel do plâncton no Ártico como uma pia ou a emissão de CO2 na atmosfera é de grande importância para estabelecer o papel dessa região do planeta no balanço de carbono da biosfera. Ele exigiu trabalho em condições adversas, com campanhas em completa escuridão e temperaturas de inverno do Ártico abaixo de - 40 ° C", explica Carlos Duarte, pesquisador do CSIC, do Instituto Mediterrâneo de Estudos Avançados.

Sob o primeiro destes estudos, com o fim do escuro inverno ártico e o gelo começa a diminuir, e as flores de plâncton fotossintético são capazes de produzir a matéria orgânica suficiente para sustentar a cadeia alimentar no resto do ano. Assim, o Oceano Ártico detém uma reserva anual de CO2.

Já o segundo estudo concluiu que o aquecimento global pode alterar esse equilíbrio. As experiências realizadas em Svalbard (Noruega), indicam que o plâncton torna-se uma fonte de dióxido de carbono para a atmosfera, quando a temperatura excede os 5 ° C, de acordo com estimativas de autoridades europeias para as próximas décadas.

"O aumento da temperatura aumenta a respiração do plâncton, fazendo a respiração superar a fotossíntese e tornar-se um emissor de CO2", acrescenta a pesquisadora do CSIC Johnna Holding.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Com aquecimento global, Ártico se tornará emissor de carbono, alertam cientistas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV