Itália barra transações com cartão no Vaticano

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O cálculo político de Ciro Gomes

    LER MAIS
  • Tomar a Bíblia ao pé da letra

    LER MAIS
  • A riqueza dos mais ricos cresce um trilhão durante a covid. O ranking dos patrimônios

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Janeiro 2013

A Itália bloqueou o uso de cartões de crédito e débito no Vaticano devido a preocupações com a falta de transparência nas operações financeiras da cidade-Estado.

Uma fonte próxima ao Banco da Itália (o banco central do país) disse que a instituição negou no mês passado autorização para que o Deutsche Bank Italy, até então o fornecedor dos serviços de pagamentos eletrônicos ao Vaticano, mantivesse as operações por entender que a Santa Sé não tem suficientes mecanismos de controle contra a lavagem de dinheiro.

"O Banco da Itália não pôde dar a autorização porque o Vaticano, além de não respeitar a regulamentação de lavagem de dinheiro, não tinha os pré-requisitos legais. Isto é, não dispõe de legislação bancária e financeira e nem de adequada supervisão", afirmou a fonte.

A informação é publicada pelo jornal Valor, 04-01-2013.

Em nota, o Vaticano afirmou apenas que havia expirado o seu acordo com um banco que fornecia serviço de pagamento em pontos de vendas. Disse que estava em negociação com outros fornecedores e que a interrupção nos pagamentos eletrônicos deveria ter "curta duração".

O Vaticano tem lutado para se livrar de uma reputação de ausência de transparência financeira que remonta a 1982, quando Roberto Calvi, um italiano conhecido como "o banqueiro de Deus", devido a seus laços com a Santa Sé, foi encontrado enforcado em Londres. Calvi era o presidente do Banco Ambrosiano, que foi à falência e do qual o Instituto para as Obras de Religião, informalmente conhecido como banco do Vaticano, era o principal acionista.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Itália barra transações com cartão no Vaticano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV