Comunidade monástica do Curdistão iraquiano acolhe Pe. Dall'Oglio

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que deve ser cancelado? Eis a questão

    LER MAIS
  • Indígena assassinado no Maranhão é o 4º Guajajara morto de forma violenta em menos de dois meses

    LER MAIS
  • Padre Miguel Ángel Fiorito, SJ, meu Mestre do Diálogo: "Ele nos ensinou o caminho do discernimento". Artigo do Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

12 Dezembro 2012

Expulso da Síria, o padre Paolo Dall'Oglio foi acolhido na nova fundação monástica de Deir Maryam al Adhra, em Souleymanieh, no Curdistão iraquiano. O jesuíta italiano, havia fundado nos anos 1990 a comunidade monástica de Mar Musa al-Habashi (ou São Moisés, o Abissínio), uma comunidade monástica mista e ecumênica dedicada ao diálogo cristão-islâmico, no norte de Damasco.

A reportagem é do sítio Cath.ch, 10-12-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Dom Louis Sako, arcebispo caldeu de Kirkuk, aceitou a entrada do jesuíta – especialista em Islã – na comunidade monástica que existe há apenas alguns meses em Souleymanieh e que encontrou hospitalidade em uma Igreja dedicada à Virgem Maria, no bairro histórico de Sabunkaran, conhecido como o "bairro dos fabricantes de sabão".

Depois de ter expressado publicamente o desejo do fim do regime sírio, o padre Dall'Oglio havia deixado a Síria em junho passado, em obediência às autoridades eclesiásticas. Ele residia lá há mais de 30 anos. No dia 20 de setembro passado, o Ministério das Relações Exteriores sírio o acusara de conivência com os grupos terroristas. "Com os irmãos do mosteiro de Deir Maryam, rezarei pela paz na Síria, no espírito e na espera de poder voltar para lá", disse ele à agência de notícias vaticana Fides.

A nova comunidade monástica de Souleymanieh é uma "derivação" do mosteiro sírio de Deir Mar Musa. O jesuíta agora faz parte da comunidade de Deir Maryam, confirmam os monges em um relatório enviado à Fides. Souleymanieh é descrita como uma cidade curda muçulmana, onde vive uma comunidade cristã composta por habitantes dos vilarejos do Norte, que geralmente falam caldeu, mas também conhecem o árabe e o curdo, e de habitantes que fugiram nos últimos anos de Bagdá ou de Mosul e que são de língua árabe.

"Certamente, é muito cedo para definir qual será a identidade deste mosteiro", reconhecem os monges na sua carta. "Ele se tornará o que o Espírito inspirar os vizinhos, os habitantes, os monges e monjas, os visitantes, os muçulmanos a fazer, que às vezes vêm rezar diante do pequeno ícone de Maria".

No dia 23 de novembro passado, Dom Sako ordenou padre o frei Jens, membro da comunidade monástica, que se tornou Abuna Yohanna.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Comunidade monástica do Curdistão iraquiano acolhe Pe. Dall'Oglio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV