Concílio Vaticano II. 50 anos depois

Revista ihu on-line

Veganismo. Por uma outra relação com a vida no e do planeta

Edição: 532

Leia mais

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Mais Lidos

  • ''Sejam corajosos!'' Entrevista com Jürgen Moltmann

    LER MAIS
  • Esquerda, o primeiro tijolo é a igualdade

    LER MAIS
  • Primeira-ministra da Nova Zelândia desafia Erdogan e proíbe armas de fogo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

03 Setembro 2012

Há 50 anos começava o Concílio Vaticano II, 21º Concílio Ecumênico da Igreja Católica, que foi convocado no dia 25 de dezembro de 1961, pelo Papa João XXIII e aberto por ele próprio no dia 11 de outubro de 1962. Considerado um dos mais importantes eventos do século XX, ele inspira dois eventos que acontecerão na Unisinos no próximo mês de outubro: o XIII Simpósio Internacional IHU Igreja, Cultura e Sociedade. A semântica do Mistério da Igreja no contexto das novas gramáticas da civilização tecnocientífica e o Congresso Continental de Teologia.

A IHU On-Line desta semana debate as possibilidades e os impasses do Vaticano II, 50 anos depois.

Entrevistamos Andrea Grillo, teólogo leigo, professor do Pontifício Ateneu S. Anselmo, de Roma, o teólogo canadense Gilles Routhier, o pesquisador belga Johan Verstraeten, professor da Universidade Católica de Leuwen, Massimo Faggioli, doutor em história da religião e professor na University of St. Thomas, de Minnesota, Estados Unidos; José Roque Junges, teólogo e professor na Unisinos, Maria Benedetta Zorzi, monja beneditina e teóloga,  Armando Matteo, padre e teólogo; João Batista Libânio, jesuíta, teólogo e professor na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia – FAJE; o historiador da Igreja, John O’Malley, professor da Universidade de Georgetown; a teóloga alemã Margit Eckholt; a teóloga colombiana Olga Consuelo Velez, professora da Pontifícia Universidade Javeriana de Bogotá; e a teóloga e filósofa Nancy Cardoso Pereira, pastora da Igreja Metodista e recém-nomeada reitora da Universidade Bíblica Latino-Americana – UBL, na Costa Rica.

O debate é completado com a publicação da resenha do livro Vatican II: the battle for meaning de Massimo Faggioli, elaborada por Rodrigo Coppe Caldeira, professor da PUC Minas e o artigo Hermenêuticas em tensão: tempos sombrios para a teologia, de Faustino Teixeira, professor e pesquisador da PPCR da UFJF. Ambos os artigos publicados nas Notícias do Dia do sítio do IHU.

Mais duas entrevistas e dois artigos completam a presente edição. “Apátridas e refugiados: direitos humanos a partir da ética da alteridade”, tema da conferência de Gustavo Oliveira de Lima Pereira, da Fundação Meridional – IMED, na próxima quinta-feira, no IHU, é o tema de entrevista. Por sua vez, Eduardo Guerreiro B. Losso, professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ, fala sobre “A mística e o enfrentamento radical da miséria humana”.

O saldo da transmissão olímpica é de mais brigas para o futuro” é o título do artigo de
Anderson David Gomes dos Santos, mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos e membro do Grupo de Pesquisa Cepos.

A todas e a todos uma ótima semana e uma excelente leitura!

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Concílio Vaticano II. 50 anos depois - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV