Cordileone, o arcebispo que bebeu demais

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • As sete antífonas do 'Ó': celebrando o mistério da vinda de Jesus

    LER MAIS
  • Dowbor: há saída no labirinto capitalista?

    LER MAIS
  • A resposta aos coletes amarelos deve ser também europeia. Entrevista com Thomas Piketty e Stéphanie Hennette-Vauchez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Agosto 2012

O novo pastor de San Francisco foi detido pela polícia enquanto dirigia depois de um jantar: ele tinha uma taxa alcoólica superior à permitida.

A reportagem é de Andrea Tornielli, publicada no sítio Vatican Insider, 28-08-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Salvatore Cordileone, o novo arcebispo de San Francisco, designado pelo Papa Bento XVI em julho passado para a liderança da diocese californiana, mas ainda não instalado – a posse está prevista para o dia 4 de outubro próximo – foi detido pela polícia durante um controle rodoviário na periferia de San Diego enquanto dirigia o seu carro e foi verificada nele uma taxa alcoólica superior ao permitido pela lei.

O arcebispo, detido logo após a meia-noite de sexta-feira para sábado, passou nove horas na prisão do condado de San Diego e, depois, foi liberado após o pagamento de uma fiança de 2.500 dólares. O prelado deverá se apresentar para julgamento no próximo dia 9 de outubro.

Cordileone, 56 anos, bispo auxiliar de San Diego em 2002, transferido para Oakland em 2009, promovido para San Francisco no dia 27 de julho, é um dos expoentes da nova corrente conservadora do episcopado norte-americano premiada pelas escolhas do Papa Ratzinger, à qual também podem ser contados o novo arcebispo da Filadélfia, Charles J. Caput (capuchinho nascido em uma família de uma tribo indígena dos Prairie Band Potawatomi) ou o novo arcebispo de Los Angeles, José H. Gómez, do clero da Opus Dei. Bispos próximos da linha ratzingeriana, decididos em afirmar a presença da Igreja na sociedade, sem concessões.

Particularmente, a nomeação de Cordileone havia provocado algumas reações na comunidade de San Francisco, cidade onde estão presentes e estruturadas várias organizações gay, por causa da sua decidida contrariedade ao casamento homossexual: como presidente da comissão da Conferência Episcopal norte-americana pela Promoção e Defesa do Matrimônio, o prelado havia posto em jogo toda a influência da Igreja Católica ao apoiar o projeto de lei número 8, aprovada depois pelo Estado da Califórnia, que veta o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Na noite de sexta-feira, em San Diego, Cordileone havia participado com a sua mãe de um jantar na casa de alguns amigos, do qual também participou outro sacerdote. Depois, havia dirigido o carro para acompanhar novamente a sua mãe em casa, que mora na região do campus universitário. Aqui, pouco depois da meia-noite, ele foi parado para um controle de rotina da polícia local e foi submetido ao teste de taxa alcoólica, resultando irregular. Consequentemente, foi momentaneamente detido.

O novo arcebispo de San Francisco emitiu um comunicado pedindo perdão: "Enquanto eu acompanhava a minha mãe para casa, passei por um posto de controle da polícia nos arredores do campus universitário, e foi encontrado em meu sangue uma taxa alcoólica superior ao permitido na Califórnia. Peço desculpas pelo meu erro de juízo e sinto vergonha pela desgraça que provoquei à Igreja e a mim mesmo. Vou pagar a minha dívida à sociedade e peço perdão à minha família, aos meus amigos e aos meus colaboradores da diocese de Oakland e da arquidiocese de San Francisco".

O novo arcebispo de San Francisco, diocese que conta com cerca de meio milhão de católicos, não acrescentou nada sobre a data da sua posse e sobre um eventual adiamento.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Cordileone, o arcebispo que bebeu demais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV