PUC do Peru: Jesuítas pedem diálogo

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Por que o Papa Francisco não tem medo de um cisma

    LER MAIS
  • Os 12% do presidente – em que lugar da sociedade habita o bolsonarista convicto?

    LER MAIS
  • O cardeal Burke inicia a cruzada contra o Sínodo sobre a Amazônia, com base em um documento herético

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 23 Agosto 2012

A Companhia de Jesus é parte essencial da “Universidade rebelde” do Peru, ex-Pontifícia e Católica. Os sacerdotes jesuítas estão presentes nesta instituição desde o seu início. Agora, em meio ao conflito do colegiado com a Santa Sé, a ordem saiu em defesa das autoridades universitárias. Ao fazer isso, lamentou a retirada de títulos emitidos com aprovação papal e convidou a Igreja para retomar o diálogo.

A reportagem é de Andrés Beltrano Álvarez, publicada no sítio Vatican Insider, 22-08-2012. A tradução é do Cepat.

Enquanto a direção da ex-PUCP mantém uma posição de aberto enfrentamento às disposições de Roma, os jesuítas acreditam que ainda é possível salvar a situação. Ao menos foi o que manifestou o provincial da Companhia de Jesus no Peru, Miguel Gabriel Cruzado Silveri, em uma carta a Salvador Piñero, presidente da Conferência Episcopal Peruana.

Um texto com cinco páginas, cujo conteúdo excede as fronteiras do país, pois foi enviado com cópia para o prepósito geral da ordem, Adolfo Nicolás; ao secretário de Estado da Santa Sé, Tarcisio Bertone; ao prefeito para a Educação Católica, Zenon Grocholewski e ao flamejante prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, Gerhard Ludwig Müller.

Nesta carta, Cruzado Silveri recordou a presença jesuíta na Universidade, cujo ápice foi alcançado com os reitores Rubén Vargas Ugarte (1947-1953) e Felipe Mac Gregor (1963-1977) e a exaltou como um “instrumento eficaz para a evangelização”, bem como “fonte de crescimento de vocações para o sacerdócio, vida consagrada e apostolado leigo”.

No restante da carta, o provincial defendeu os pontos que determinaram a rebeldia da cúpula universitária. Embora a Santa Sé tenha pedido várias vezes e sem êxito que os estatutos do centro educativo fossem adequados à constituição apostólica “Ex Corde Eclesiae”, para o superior jesuíta a ex-PUCP desenvolve sua missão “no fundamental e de maneira sempre perfectível, dentro do espírito” desse documento.

Cruzado Silveri reconheceu “a presença efetiva de vozes discrepantes em relação ao caráter católico e eclesial”, mas considerou que isto é uma realidade “própria de toda instituição universitária”. Além disso, expressou “profundo pesar” pelo enfrentamento público de irmãos na fé, situação que “prejudica seriamente o serviço eclesial”. E concluiu: “É muito doloroso comprovar que esta situação de conflito deteriorou gravemente a credibilidade de nossa mensagem evangelizadora, principalmente entre os jovens do Peru”.

“O decreto emitido pelo cardeal Secretário de Estado não recebeu, de parte de amplos setores da PUCP e da sociedade peruana, a aceitação que poderia ter sido esperada, e para sua correta aplicação se choca com múltiplos abrolhos de ordem jurídica, até o ponto de poder gerar lamentáveis enfrentamentos entre a Santa Sé e o Estado Peruano”, sustentou.

Por tudo isto, o Provincial convidou as autoridades eclesiásticas para retomar o diálogo com a Universidade, para conquistar uma solução definitiva baseada no acordo do último dia 31 de março. Uma proposta alcançada pelas partes em conflito, mas que a Assembleia Universitária da ex-PUCP nunca quis aceitar.

“Caso não se consiga um acordo, corre-se o risco de que a Igreja perca uma instituição acadêmica da maior qualidade e excelência, e pela polarização das posturas, sejam exacerbados os sentimentos de amargura e animadversão contra nossa Igreja”, advertiu o jesuíta.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

PUC do Peru: Jesuítas pedem diálogo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV