Compartilhar Compartilhar
Aumentar / diminuir a letra Diminuir / Aumentar a letra

Notícias » Notícias

Como os cristãos podem interpretar os sonhos

Gerard Condon escreveu um "guia" sobre o assunto. O método junguiano? Santo Inácio de Loyola já havia intuído.

A reportagem é de Marco Tosatti, publicada no sítio Vatican Insider, 22-06-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Existe um modo cristão para interpretar os sonhos? E por que a teologia espiritual se cala sobre esse assunto, que, ao invés, atrai muita atenção em fenômenos como a Nova Era e em diversas práticas religiosas não institucionais? A resposta à primeira pergunta é positiva. E é dada por Gerard Condon, por muitos anos diretor espiritual do Pontifício Colégio Irlandês, em Roma, que obteve seu doutorado sobre a obra de Jung na Pontifícia Universidade Gregoriana e atualmente é conselheiro diocesano para a educação religiosa e professor de espiritualidade no St. Patrick College, em Thurles.

Condon escreveu para a editora Messaggero, de Pádua, um guia cristão para interpretar sonhos, intitulado Il potere dei sogni [O poder dos sonhos], em que defende que a interpretação dos sonhos  deve ingressar também na vida cristã e na direção espiritual. E sugere uma hipótese muito interessante: "O método junguiano da imaginação ativa tem um significativo precedente na tradição cristã: de fato, lembra a técnica de meditação proposta por Santo Inácio de Loyola nos seus Exercícios Espirituais".

Uma combinação certamente audaz, mas muito interessante. Segundo Condon, é oportuno levar o resultado da meditação sobre os sonhos para a atenção do diretor espiritual: "Desse modo, o processo vai além da meditação pessoal e também se abordam as implicações públicas e comunitárias da imagem onírica". Uma intervenção externa é necessária porque "uma pedra angular da direção espiritual cristã é que ninguém é um bom juiz dos seus próprios casos".

Mas a interpretação dos sonhos, para se entender qual pode ser o sinal que Deus nos envia, "deve ser sabiamente contida. A análise dos sonhos não deverá dominar as os encontros". Condon também cita a prática da incubação, que revive no ritual judaico do she'eilat chalom: "Nesse caso, a pessoa escreve uma pergunta em um papel, coloca sob o travesseiro e decide ser receptiva ao sonho que Deus enviará naquela noite".

É uma prática que, do ponto de vista judaico-cristão, pode parecer uma tentativa humana de controlar o âmbito do divino. Mas, "consciente dessas reservas, podemos adaptar ao nosso uso alguns princípios da incubação onírica". Antes de adormecer, recolher-se em oração, confiando o problema a Deus. "Colocar no quarto um símbolo religioso irá reforçar a dimensão espiritual do exercício".

No entanto, é preciso falar a respeito com o próprio diretor espiritual. E quem quiser também pode "adotar a prática judaica de escrever o problema ao qual se buscar resposta em um pedaço de papel e colocá-lo debaixo do travesseiro".

Uma última nota refere-se à simbologia, e a cruz em particular, que simboliza a dolorosa interação de opostos como bem e mal, inocência e pecado, vida e morte, paraíso e inferno. "Segundo Jung, na sua forma quaternária, a cruz de algum modo reconcilia aquelas tensões e gera, por fim, um renascimento ou ressurreição".

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se

Quero receber:


Refresh Captcha Repita o código acima:
 

Novos Comentários

"É incrível como se anula a vontade e a existência dos donos da terra que são os indigenas. Eles ..." Em resposta a: Dilma e Aécio não consultam índios e adotam propostas contrárias aos seus direitos
"Realmente uma matéria profunda, reflexo de estudo técnico e científico. A grande corrida(ataque) ..." Em resposta a: A complexa teia hídrica que brota do Cerrado está ameaçada. Entrevista especial com Altair Sales Barbosa
"O sucesso da Dilma está no meio dos pobres. Estou de acordo com foi dito por todos aqueles que sens..." Em resposta a: Empregos, salários e universidades explicam sucesso de Dilma no Nordeste

Conecte-se com o IHU no Facebook

Siga-nos no Twitter

Escreva para o IHU

Adicione o IHU ao seus Favoritos e volte mais vezes