Compartilhar Compartilhar
Aumentar / diminuir a letra Diminuir / Aumentar a letra

Notícias » Notícias

A repressão da ditadura em Pernambuco

Da coluna de Jânio de Freitas, jornalista, publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 14-06-2012:

"Pernambuco foi o Estado que mais sofreu com a repressão em 1964. Dois coronéis, Ibiapina e Bandeira, instauraram o terror, do qual ficou uma foto eloquente para a interpretação futura: o comunista histórico Gregório Bezerra, de calção, descalço, mãos amarradas às costas, puxado pelas ruas do Recife por uma corda atada ao pescoço. Vinha da tortura, ia para a tortura.

No artigo "Na morte do jovem padre", fiz referência a um dos tantos atos do terrorismo: o assassinato do padre Antonio Henrique, assistente de d. Hélder Câmara. Citei, como um dos muitos feitos de Inocêncio Mártires Coelho, procurador da República a serviço da ditadura, atrapalhar a identificação dos assassinos.

Confundi caso e nome. O procurador do assassinato foi Rorinildo Rocha Leão, respeitável e frustrado em seus esforços. A celebridade nacional de Inocêncio veio de suas ações contra o pleno esclarecimento do "escândalo da mandioca" - bandalheira financeira cuja tentativa de investigação levou ao assassinato, por um major da PM, do procurador Pedro Jorge de Mello e Silva - também ligado à diocese.

O artigo lembrava a necessidade de investigar a verdade sobre os colaboracionistas do regime de torturas, mortes e desaparecimentos. Inocêncio Mártires Coelho daria um bom começo.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se

Quero receber:


Refresh Captcha Repita o código acima:
 

Novos Comentários

"Perfeito! É um bom começo para um dia desalojar esse pessoal do poder." Em resposta a: Começa nessa segunda o Plebiscito Popular pela Reforma Política
"GOSTEI MUITO SERVE / MUITA GENTE ESSAS LIÇOES, ASSIM SE MUITOS SEGUICE O QUE ELE FALOU.

..." Em resposta a: Quatro lições de liderança do Papa Francisco, segundo o Wall Street Journal
"A Igreja teve dois mil anos para converter o poder.

Falhou, porque aceitou a união." Em resposta a: ''Parece-me muito difícil abrir mão da loucura do cristianismo.'' Entrevista com Emmanuel Carrère

Conecte-se com o IHU no Facebook

Siga-nos no Twitter

Escreva para o IHU

Adicione o IHU ao seus Favoritos e volte mais vezes