Vazamento da Chevron. "Já se configura crime ambiental", diz delegado

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Padres despedaçados. Artigo de Pietro Parolin

    LER MAIS
  • Na igreja do Papa Francisco, os movimentos estão parando

    LER MAIS
  • Abusos, sínodo e a falsa prudência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


19 Novembro 2011

Após sobrevoar ontem a Bacia de Campos, no litoral norte, o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, afirmou ter avistado três baleias jubarte no campo operado pela americana Chevron, uma delas a 300 metros da mancha de óleo. "Isso já caracteriza dano à biodiversidade marinha. Estamos na época de migração de espécies de baleias e golfinhos na região", disse.

A informação é do jornal O Estado de S. Paulo, 19-11-2011.

O delegado da Polícia Federal Fábio Scliar, que investiga o caso, concorda com Minc. "A empresa já não nega que o vazamento ocorreu pela rachadura na atividade de perfuração. Já se configurou o crime ambiental. Não importa a extensão", argumentou Scliar.

"Deve sair amanhã (hoje) um dado definitivo do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), relativo a quarta-feira, sobre o tamanho da mancha. Eu sei que é muito mais do que a empresa diz, mas não vou me aventurar a dizer se é quatro, cinco ou dez vezes", declarou Minc.

De acordo com o ex-ministro do Meio Ambiente, "tudo indica" que a empresa Chevron sonegou informação, minimizando o acidente.

Para o secretário, foi uma "falha" o fato de o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) prévio não ter detectado a hipótese de fissura. "Eu vi borbulhar (ontem), continuava saindo óleo e não havia navios recolhendo o óleo."

Para Minc, o acidente foi um "sinal vermelho". "Não existe risco zero. O pré-sal vem aí", disse ele, reconhecendo a necessidade de "medidas mais preventivas e rigorosas".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vazamento da Chevron. "Já se configura crime ambiental", diz delegado - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV