"Chávez queria que me sequestrassem. Agora rezo pela sua recuperação"

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • Bolívia. “O elemento central da derrubada de Evo Morales não é a direita, mas o levante popular”. Entrevista com Fabio Luís Barbosa dos Santos

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Julho 2011

"Meu colete à prova de balas? É a cruz peitoral. Em vez disso, a coroa do Rosário é a minha pistola, equipada com 50 peças. O amor do povo é a minha arma preferida para me defender".

A reportagem é de Fabio Marchese Ragone, publicada no sítio Vatican Insider, 15-07-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O cardeal Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga, 68 anos, salesiano, arcebispo de Tegucigalpa, capital de Honduras, brinca, apesar do risco que corre. Há poucos dias, o cardeal falou na Comissão de Verdade e Reconciliação, instituída para lançar luz sobre o golpe de Estado que, em 2009, destituiu o presidente Manuel Zelaya em seu país.

Maradiaga, que sempre se declarou a favor do golpe, durante a sessão, criticou o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que "tinha em mente um plano para sequestrá-lo". O cardeal, considerado um dos papáveis ainda no conclave de 2005, defendeu perante a comissão que recebeu telefonemas ameaçadores e ameaças de morte durante o período depois do golpe e que parece que Chávez pediu a Zelaya (referindo-se a ele): "Sequestrem esse filho da mãe, e vocês vão ter a Igreja e o Estado de joelhos". O mesmo Chávez que, há poucos dias, anunciou na televisão que está com câncer e que quer lutar para se curar dessa doença.

Eis a entrevista.

Eminência, o senhor está rezando pela recuperação de Hugo Chávez, apesar de tudo o que foi dito?

Às vezes, uma doença pode ser uma ocasião para se encontrar com Deus e para reconhecer os próprios erros. A caridade cristã nos pede que rezemos por todos, sobretudo pelos doentes.

O senhor sempre foi a favor do golpe, apesar de ir contra muitos, entre eles o presidente venezuelano Hugo Chávez. Como estão as relações atualmente?

Depois dos acontecimentos de 2009 em Honduras, as coisas melhoraram, e temos mais paz. O novo governo tentou com sucesso a reconciliação nacional. Além disso, nosso novo presidente, Porfirio Lobo, teve muita coragem: foi convidado para uma reunião que Chávez realizou com o presidente colombiano Santos, em Cartagena. E, nessa ocasião, o presidente venezuelano e Lobo apertaram as mãos. Todos vimos a foto!. Um gesto muito importante para o reconhecimento do novo governo. Depois do acordo de Cartagena, Manuel Zelaya retornou a Honduras e agora está tentando fundar um novo partido. Como consequência, a OEA (Organização dos Estados Americanos) voltou a admitir Honduras, com a totalidade de votos a favor, com exceção do Equador que votou contra.

Mas houve muitas ocasiões, durante o golpe (e até depois), em que o senhor arriscou a sua vida...

Graças a Deus, as coisas estão melhorando, e eu não me sinto em perigo, embora sempre me movo com prudência, nunca sem medo. De fato, sempre me desloco de carro com um policial. No dia em que o presidente Zelaya, destituído, abandonou o país, a polícia me informou que havia um plano para pôr uma bomba na minha casa. Nesse mesmo dia, explodiu uma em uma casa vizinha. Erraram de endereço! É claro que Dom Bosco me protege.

Aqueles que queriam vê-lo morto nunca se detiveram...


É verdade. Sujaram umas 26 vezes as paredes da catedral com insultos. Eles atiraram contra a minha janela, mas eu continuo com o meu povo. A droga e os traficantes quiseram se apoderar do país, mas não vão conseguir! Estamos unidos na luta contra esse mal.

A comunidade internacional lhes ajuda?

É claro, há muita solidariedade, sobretudo por parte da Cáritas. Em março passado, eu vivi uma formosa experiência na Calábria: depois de um encontro que tive com os estudantes, eles decidiram arrecadar fundos para nos ajudar a reconstruir casas para os mais pobres. E conseguimos construir cinco!

O senhor arrisca a sua vida todos os dias. Alguém insinuou que o senhor abandonaria Honduras por motivos de segurança. O senhor estaria disposto a abandonar o país?

Acredito que estamos nas mãos de Deus, que me ama e quer o melhor para todos nós. Ele me chamou para servir o povo, e eu nunca fugiria dessa missão. Mas sou sempre um cardeal, e tenho que obedecer ao Santo Padre. Mas, até agora, ninguém me pediu para abandonar Honduras.

Qual é o seu maior sonho?

Contar com mais sacerdotes para servir os jovens. Cerca de 42% da nossa população é formada por jovens com menos de 15 anos. Temos pouco mais de 400 sacerdotes, e seria necessário pelo menos o dobro. Apesar disso, a cada ano temos mais seminaristas. Isso nos dá grandes esperanças. Depois, espero que o papa venha nos visitar em breve! Convidamo-lo na nossa primeira visita  "ad limina" em 2007. Gostaríamos muito de contar com a sua presença. O povo o ama!

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Chávez queria que me sequestrassem. Agora rezo pela sua recuperação" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV