Rio+20 corre risco de ser um fracasso, diz Cristovam Buarque

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • “É triste ver cristãos acomodados na poltrona”. O alerta do papa Francisco contra a acídia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


27 Mai 2011

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), disse ontem que a Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que acontece em junho de 2012, 20 anos após a Eco-92, também no Rio, corre o risco de ser um fracasso.

A reportagem é de Rodrigo Russo e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 28-05-2011.

Presidente da Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Rio+20, Buarque aponta a falta de representatividade como principal problema da conferência.

"Duvido que o presidente Barack Obama compareça à reunião, deixando de lado as eleições que disputará ao fim do ano que vem", disse. O senador falou que o fato de o evento não ser coordenado por Ban ki-moon, secretário-geral da ONU, mas pelo subsecretário-geral e diretor-executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Achim Steiner, dá mostras de que o encontro não é uma prioridade da organização.

"Falta alguém como o Maurice Strong", disse Buarque, em referência ao canadense que coordenou a Eco-92, mas que não ocupava o posto de secretário-geral da ONU - à época, comandada por Boutros Boutros-Ghali.

Durante seu discurso na 23 Conferência da Academia da Latinidade, em que previa falar sobre educação, mas preferiu discutir a primavera árabe e o que chamou de "outono europeu", Buarque disse que os políticos estão preocupados com os problemas locais."Os problemas da presidente do Brasil são os problemas do país".

Outro dificuldade da Rio+20, segundo o senador, é a ausência de propostas.

"Está claro que o casamento entre democracia política, justiça social e crescimento econômico não se sustenta mais", disse, citando a ecologia como limite ao consumo da sociedade.

Para Buarque, o encontro deveria se concentrar em debater como eliminar a pobreza sem depender de crescimento econômico.

Ao fim de sua fala na reunião da Academia da Latinidade, que se encerra hoje, Buarque exortou os intelectuais a um novo encontro no ano que vem, no Rio de Janeiro, uma semana antes da Rio+20: "Ninguém vai levar em conta, mas, pelo menos, falaremos, cumpriremos nossa obrigação".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Rio+20 corre risco de ser um fracasso, diz Cristovam Buarque - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV