Amazônia: apelo do papa é esvaziado. Peru construirá super-rodovia no coração da floresta

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • O psicanalista analisa o "vazio de sentido". "A técnica domina, a política não decide, os jovens consomem e ponto". Entrevista com Umberto Galimberti

    LER MAIS
  • Necropolítica Bacurau

    LER MAIS
  • ''Estamos vendo o início da era da barbárie climática.'' Entrevista com Naomi Klein

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Janeiro 2018

A rodovia de duas pistas, de 227 quilômetros de extensão, cortará o pulmão verde do mundo. Unirá Puerto Esperanza, no nordeste do Peru, e Iñapari, na fronteira com o Estado do Acre, no Brasil. Atravessará cinco parques nacionais. Mas a obra é considerada “uma prioridade de interesse nacional”.

A reportagem é de Daniele Mastrogiacomo, publicada por La Repubblica, 23-01-2018. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

As palavras do papa permaneceram não ouvidas. Letra morta. Enquanto Francisco, cercado pelos índios de Puerto Maldonado, na selva peruana, denunciava, alarmado, os riscos que a Amazônia corre por causa da ação devastadora dos cortadores de árvores e dos mineradores ilegais, o Parlamento aprovava em grande segredo o projeto de lei que autoriza a construção de uma superestrada que conectará o Peru e o Brasil, cortando o pulmão do mundo.

O procedimento foi publicado no Diário Oficial e está operacional. Trata-se de uma estrada de duas pistas, de 227 quilômetros de extensão, que unirá Puerto Esperanza, no nordeste do Peru, e Iñapari, na fronteira com o Estado do Acre, no Brasil. Embora atravesse cinco parques nacionais, incluindo os de Alto Purus e de Manu, nas motivações da norma, a estrada é considerada “uma prioridade de interesse nacional”.

O interesse é obviamente econômico. O Peru tenta expandir seus mercados para o lado atlântico do continente; o Brasil precisa explorar os laços asiáticos do seu vizinho. Exigências convergentes. Uma linha de conexão e de transporte rodoviário facilitaria os intercâmbios comerciais.

Passar pela Amazônia significa poupar tempo e dinheiro. O resto, os danos ambientais, a erosão de novas fatias de verde, as consequências climáticas decorrentes do desequilíbrio que vai decorrer a partir disso são fatores secundários. Trata-se de escolher.

Apoiado por uma maioria cada vez mais precária, criticado por ter concedido o indulto ao ex-ditador Alberto Fujimori em troca de oito votos que lhe evitaram o impeachment, o presidente Pedro Pablo Kuchynski cede às pressões dos lobbies industriais e da madeira, e aprova uma lei que viola os compromissos internacionais assumidos em torno da defesa do ambiente e do aquecimento global.

Mas, acima de tudo, põe em risco a sobrevivência de pelo menos cinco grandes comunidades indígenas que “vivem em isolamento voluntário”, explica Lizardo Cauper, chefe da Federação Peruana dos Povos Nativos da Amazônia (Aidesep). “O projeto”, defende o ativista, “não cria nenhuma vantagem para as populações locais. Trata-se de uma área com pessoas extremamente isoladas que são muito vulneráveis.”

As obras da superestrada atrairão milhares de garimpeiros, mineradores ilegais, traficantes e mercenários. A região é rica em árvores de mogno, madeira preciosa requisitada sobretudo na Europa.

Julia Urrunaga, diretora no Peru da Environmental Investigation Agency (EIA), uma ONG britânica comprometida com a Amazônia, lembra que 95% do desmatamento ocorre a menos de seis quilômetros da futura superestrada.

Junto com a rede das muitas rotas que serão traçadas, o caminho planejado poderia provocar o corte de 2.750 quilômetros quadrados de verde, de acordo com o mapeamento de satélite traçado pelo projeto de Monitoramento da Amazônia Andina.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Amazônia: apelo do papa é esvaziado. Peru construirá super-rodovia no coração da floresta - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV