“O projeto catalão é conservador e de direita”, afirma Thomas Piketty

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Outubro 2017

“A política de austeridade da União Europeia é um fracasso grave”, afirma Thomas Piketty, economista, em entrevista publicada por Correio do Povo, 30-09-2017.

Segundo ele, Brexit e os projetos separatistas, como o caso da Catalunha, mostram a falha da União Europeia em administrar a crise financeira de 2008.

Eis a declaração de Piketty ao analisar o plebiscito catalão realizado no dia ontem:

“Eu desconfio dos regionalismos. Os movimentos separatistas da Catalunha e da Escócia poderiam ser positivos se mostrassem conteúdos políticos progressistas. O risco é que ser trate apenas de ricos tentando se livras dos mais pobres de um país. Muitos sonham em transformar a Catalunha num grande paraíso fiscal. O importante é desenvolver uma união europeia democrática com impostos comuns, taxações comuns sobre patrimônio e heranças, mecanismos de redistribuição de renda e riqueza, instrumentos de melhoria de vida para todos. O projeto catalão é conservador e de direita. Nada mais. O Brexit e esses projetos separatistas retomados resultam da falha de União Europeia em administrar a crise financeira de 2008. A França e a Alemanha são as grandes responsáveis pela situação de países como a Grécia e a Espanha. A política de austeridade é um fracasso grave”.

Na entrevista ele também analisa o governo Macron, na França:

Macron é demasiado conservador em economia. Cometeu um erro grave ao revogar o imposto sobre as grandes fortunas. O grande capital francês vai bem e agradece. Precisamos avançar em políticas de orçamento e impostos comuns. Macron nada apresentou de sólido até agora para ajudar a desenvolver uma Europa mais democrática. A Europa precisa de uma assembleia de representantes realmente efetiva e democrática capaz de tomar decisões e de implementar políticas solidárias. Antes de chegar a um imposto mundial comum sobre o patrimônio, temos de avançar nesse sentido na Europa com alguns países. Sou otimista, não utopista. Podemos ir além do Estado-Nação”.

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“O projeto catalão é conservador e de direita”, afirma Thomas Piketty - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV