Acordo com FARC será implementado por Congresso e não por plebiscito, diz Santos

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O fenômeno dos padres fisiculturistas e estrelas das redes sociais

    LER MAIS
  • Francisco para os pais e mães de homossexuais: “A Igreja ama os vossos filhos do jeito que eles são, porque são filhos de Deus”

    LER MAIS
  • “O Papa me disse: Deus ama os filhos homossexuais como eles são”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


03 Novembro 2016

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, declarou nesta quarta-feira (02/11) em uma entrevista coletiva concedida à imprensa no Palácio de Buckingham, em Londres, que não haverá um novo plebiscito para endossar um acordo com as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), e que o acordo será implementado pelo Congresso.

A informação é publicada por Opera Mundi, 02-11-2016.

Segundo a Europa Press, o presidente do Senado, Mauricio Lizcano, que também acompanhou Santos na viagem ao Reino Unido, confirmou a informação de que o Congresso colombiano será responsável por referendar o novo acordo. De acordo com Lizcano, o Congresso manteria suas faculdades intactas e se for decidido que o acordo será implementado, a Câmara estaria disposta a assumir essa responsabilidade.

Ainda segundo o presidente do Senado, a alternativa de realizar um plebiscito “seria um desgaste e tomaria mais tempo do que se necessita para implementar os acordos”.

Os cidadãos colombianos rejeitaram o acordo de paz com as FARC que foi levado a plebiscito no dia 2 de outubro, o que obrigou a retomada das negociações dos termos do pacto. Por essa razão, a guerrilha e o governo voltaram a Havana para rever algumas parte do acordo.

Santos também defendeu os benefícios econômicos consequentes do acordo de paz à Reuters. Segundo o presidente, o processo de paz impulsionaria o crescimento econômico entre 0,5 e 1% anual, “embora também haja estimativas de que esse número seja mais próximo de 2%”.

Em visita ao Reino Unido, Santos se reuniu com a primeira-ministra britânica, Theresa May, que lhe ofereceu "todo seu apoio" para conseguir a paz na Colômbia.

Em entrevista coletiva conjunta, May manifestou sua confiança de que os novos esforços do governo colombiano "levarão a um novo acordo de paz", que, por sua vez, abrirá novas oportunidades comerciais para o país latino-americano, das quais o Reino Unido, segundo a premiê britânica, quer fazer parte.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Acordo com FARC será implementado por Congresso e não por plebiscito, diz Santos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV