Atentado do EPP no Paraguai deixou pelo menos oito militares mortos

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • III Jornada Mundial dos Pobres: o papa almoçará com 1500 convidados

    LER MAIS
  • “O Papa não é liberal, é radical”, afirma cardeal Kasper

    LER MAIS
  • III Dia Mundial dos Pobres. A Centralidade dos Pobres na Igreja e na Sociedade

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Agosto 2016

Oito militares paraguaios morreram no sábado em um atentado com bomba perpetrado pelo grupo guerrilheiro Exército do Povo Paraguaio (EPP) em Arroyito, ao norte de Assunção, informou o ministro do Interior, Francisco de Vargas.

A reportagem é publicada por Infobae, 27-08-2016. A tradução é de André Langer.

“Este é um fato passível de punição gravíssimo; colocaram explosivos no caminho por onde devia passar a patrulha de rotina. Pela forma de atuação, acreditamos que se trata de um ataque do conhecido grupo criminoso EPP”, precisou o secretário de Estado a jornalistas.

O jornal ABC publicou reportagem em que informa que o ocorrido se deu em uma estrada vicinal despovoada, mas próxima ao assentamento camponês de Arroyito, a 500 quilômetros da capital paraguaia.

“Foi uma emboscada covarde do tipo que este grupo terrorista costuma fazer”, afirmou o secretário, explicando que uma unidade, com capacidade de sete a oito efetivos, realizava uma patrulha de rotina quando ocorreu o ataque.

Desde que iniciou suas operações em 2008, o EPP (de tendência marxista-leninista) já provocou mais de 50 vítimas, em sua maioria policiais, militares e pecuaristas, disseram fontes policiais à AFP.

Os mortos pertencem à Força de Tarefa Conjunta, cuja base encontra-se na localidade de Arroyito, no Departamento de Concepción, uma rica região dedicada à pecuária e onde habitualmente opera o EPP.

Segundo a polícia, o EPP foi treinado pela guerrilha FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e conta com cerca de 20 militantes, que se identificam como anarcocomunistas e ambientalistas.

Investigações da Força de Tarefa Conjunta assinalam que o EPP administra cerca de 3 milhões de dólares oriundos de sequestros e extorsões (“impostos de guerra”) pagos por fazendeiros para evitar ser atacados.

Em 2014, desmembrou-se do EPP o grupo denominado Associação Camponesa Armada (ACA), cujos líderes foram abatidos pelas forças da ordem.

Leia mais...

Casal de fazendeiros é executado no Paraguai pelo EPP

Paraguai. Cinco policiais mortos pela guerrilha

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Atentado do EPP no Paraguai deixou pelo menos oito militares mortos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV