Foto de criança síria morta na praia vira símbolo do drama migratório

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Como viver o Advento em tempos de quarentena

    LER MAIS
  • Uma nova economia é possível!

    LER MAIS
  • Caixa do Carrefour: “Eu ficava das onze da manhã às três da tarde sentada e evitava tomar água, pra não ter que ir ao banheiro, porque não tinha quem ficasse no meu lugar”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


03 Setembro 2015

Pelo menos doze refugiados sírios – cinco deles menores de idade – perderam a vida em dois incidentes enquanto tentavam atravessar a estreita faixa de água que separa a península de Bodrum, na Turquia, da ilha grega de Kos, informou a imprensa local citando fontes das forças de segurança.

Os cadáveres das crianças apareceram no início da manhã desta quarta-feira numa praia turca, o que levou a Guarda Costeira a mobilizar várias equipes de salvamento, que conseguiram resgatar seis pessoas das duas embarcações avariadas.

A reportagem é de Andrés Mourenza, publicada por El País, 02-09-2015.

A foto de um dos meninos (não reproduzida nesta matéria para não ferir a sensibilidade do leitor), muito pequeno, foi distribuída pela agência Reuters. Na imagem, a criança aparece de bruços numa praia de Bodrim, no sul da faixa asiática da Turquia. Na sequência da reportagem da agência britânica, aparece um policial turco carregando o corpo sem vida do menino. A foto está sendo replicada por muitos usuários das redes sociais com a hashtag #kiyiyavuraninsanlik, algo como “a humanidade se choca contra a costa”. Somente na noite desta terça-feira, os soldados turcos detiveram 100 pessoas que tentavam chegar às ilhas gregas, na maioria em botes infláveis, uma cifra que supera os 2.000 dos últimos sete dias.

O Governo interino da Grécia, presidido por Vassiliki Thanou, abordou esta manhã a crise dos refugiados e, segundo anunciou o vice-ministro de Política Migratória, Yannis Mouzalas, chegou-se a um acordo sobre diversas iniciativas para melhorar as condições de vida dos refugiados e “aliviar” os habitantes das ilhas que recebem o grosso desse novo fluxo migratório, embora sem detalhar que tipos de medidas são essas.

Mouzalas afirmou que um Executivo em funções, como o que dirige o país até as eleições do próximo 20 de setembro, não pode resolver a crise migratória enfrentada pela Grécia. Por isso, pediu a intervenção imediata da União Europeia e a “internacionalização” do problema para que seja tratado pela ONU.

Segundo a imprensa local, na quinta-feira chegará à capital grega o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, e o comissário europeu para Migração, Assuntos Internos e Cidadania, Dimitris Avramopoulos, que depois visitarão a ilha de Kos.
Que sentimentos esta notícia provocou em você?

Leia a notícia aqui

Sugerimos este texto bíblico que pode vos iluminar.

Levanta-te, ó Deus! Defende a tua causa!
Lembra-te do insensato que te ultraja o dia todo!

Não te esqueças do rumor de teus opressores,
do tumulto crescente dos que se rebelam contra ti.(Sal 74, 22-23)

Leia-o e deixe que ele ecoe em você.

Se quiser, pode escrever sua prece e enviá-la, para que outros possam rezar junto pelo site.
Mande sua mensagem pelo formulário abaixo:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Foto de criança síria morta na praia vira símbolo do drama migratório - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV