Migração invertida

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Bolsonaro é retratado como criminoso de guerra em vídeo sobre Amazônia

    LER MAIS
  • É desumano continuar a morrer sozinhos. E não digam que não poderia ter sido feito de outra forma

    LER MAIS
  • Posição da Associação Médica Brasileira sobre COVID-19 e Vacinação

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Abril 2007

O País está invertendo a rota de migração de sua mão-de-obra. O Sudeste agora manda seus filhos para tentar a vida nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Mas houve mudança no perfil do trabalhador. Os caminhões pau-de-arara que levavam trabalhadores com baixa formação se transformaram em aviões que trazem mão-de-obra qualificada vestida em terno e gravata. Você se lembra daqueles famosos caminhões chamados "pau-de-arara" que levavam nordestinos e seus sonhos de vencer no Sul e no Sudeste? Pois eles estão fazendo o caminho de volta. O Sudeste deixou de ser "eldorado" e agora é um dos maiores emissores de mão-de-obra do País. Ao contrário de nossos pais e avós que iam tentar a vida na "cidade grande", nossa geração está assistindo à chegada de paulistas, mineiros e gaúchos que buscam não só as capitais, mas também as cidades de médio porte do Nordeste.

(cfr. notícia do dia 11-04-07, desta página).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Migração invertida - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV