Em solidariedade aos Sem-Teto e em repúdio ao Governo do Estado de Goiás

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Só um radical ecossocialismo democrático pode mudar o horizonte

    LER MAIS
  • Seu bispo necessita dos seus conselhos: o que dirá a ele?

    LER MAIS
  • Dinâmica religiosa nos Estados Unidos. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Março 2019

"Lutemos por “outro mundo possível! Não tenhamos medo! Deus está do lado dos pobres! Unidos e organizados somos fortes! A vitória é nossa", escreve frei Marcos Sassatelli, frade dominicano, doutor em Filosofia (USP) e em Teologia Moral (Assunção - SP) e professor aposentado de Filosofia (UFG).

Eis o artigo.

Conforme foi amplamente divulgado nas redes sociais, na noite do dia 21 deste mês, por volta das 23:45 horas, a Polícia Militar do Estado de Goiás fez uma incursão no Acampamento Fidel Castro do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Setor Vera Cruz II, Goiânia - GO, causando terror e fazendo ameaças aos moradores e ao coordenador da Ocupação.

Quando um dos membros da Ocupação (líder do MTST) perguntou se a PM tinha um mandado judicial, o sargento e outro policial, foram à viatura, empunharam fuzis AK-47, voltaram e - em tom de ameaça - disseram: “aqui está o nosso mandado, fala alguma coisa de novo”. Que absurdo! Que desrespeito!

Pergunto: Por que uma ofensiva policial noturna (reparem: noturna!) tão arrogante e tão violenta? É um crime - um comportamento ilegal e antiético - que clama a Deus por justiça. O Governo do Estado de Goiás e os responsáveis diretos dessa operação militar devem ser processados e julgados. Chega de impunidade!

Muitos Movimentos Populares e outras Entidades da sociedade civil manifestaram - presencialmente ou por escrito - sua solidariedade aos Sem-Teto. O Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno - composto por mais de 90 Organizações - divulgou uma “Moção de Apoio” aos acampados, em condições extremamente vulneráveis, exigindo do Poder Público que cumpra sua função constitucional de garantir a todos/as segurança e proteção, além dos direitos básicos à saúde, educação, cultura, trabalho e moradia.

A Igreja (que somos todos os cristãos e cristãs) - através de seus maiores responsáveis - não pode deixar de denunciar profeticamente um fato como esse, tomando o lado dos pobres na defesa de seus direitos. Se não o fizer, com seu silêncio cometerá um grave pecado de omissão, deixará de ser a Igreja de Jesus de Nazaré e tornar-se-á a “Igreja de Pilatos”, que lava as mãos, ou a “Igreja de Judas”, que trai Jesus nos pobres. Pensemos!

O que aconteceu no Acampamento dos Sem-Teto do Setor Vera Cruz II e muitos outros fatos mostram claramente que o Governo do Estado de Goiás e o Governo Federal estão a serviço dos interesses financeiros do sistema capitalista neoliberal, que é um "sistema econômico iníquo" (CELAM. Documento de Aparecida - DA, 385) ou - em outras palavras - um "sistema nefasto", porque considera "o lucro como o motivo essencial do progresso econômico, a concorrência como lei suprema da economia, a propriedade privada dos bens de produção como um direito absoluto, sem limites nem obrigações correspondentes" (São Paulo VI. Desenvolvimento dos Povos - PP, 26). “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6, 24).

“Queremos uma mudança, uma mudança real, uma mudança de estruturas. Este sistema é insuportável: não o suportam os camponeses, não o suportam os trabalhadores, não o suportam as comunidades, não o suportam os povos... E nem sequer o suporta a Terra, a irmã Mãe Terra, como dizia São Francisco”. Esse sistema “exclui, degrada e mata!”.

“Queremos uma mudança nas nossas vidas, nos nossos bairros, no vilarejo, na nossa realidade mais próxima; mas uma mudança que atinja também o mundo inteiro, porque hoje a interdependência global requer respostas globais para os problemas locais. A globalização da esperança, que nasce dos povos e cresce entre os pobres, deve substituir esta globalização da exclusão e da indiferença” (Papa Francisco. 2º Encontro Mundial dos Movimentos Populares. Santa Cruz de la Sierra - Bolívia, 09/07/15).

Lutemos por “outro mundo possível! Não tenhamos medo! Deus está do lado dos pobres! Unidos e organizados somos fortes! A vitória é nossa!

(No próximo artigo apresentarei o Tema da Campanha da Fraternidade 2019 com algumas reflexões. Em seguida, retomarei o conteúdo do Documento sobre “A Fraternidade Universal...”, com pequenos comentários. Devido ao tamanho menor dos artigos, as partes serão 6 e não 3 - como foi anunciado. Depois disso, retomarei também - embora não sempre na sequência - a “Gotas de Medellín”).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em solidariedade aos Sem-Teto e em repúdio ao Governo do Estado de Goiás - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV