Jesuítas da Indonésia: diálogo, a melhor arma contra o fundamentalismo

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • “Os pecados da carne não são os mais graves. Os mais graves são aqueles que têm mais 'angelicalidade': a soberba, o ódio”. Entrevista do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Digital, serial, algorítmica, a cultura do século XXI chegou

    LER MAIS
  • Ômicron, natureza e arrogância humana: uma guerra entre patógenos e humanos. Artigo de Alexandre A. Martins

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Agosto 2016

Está em andamento na Indonésia, a quarta Conferência dos Jesuítas da Ásia e do Pacífico sobre o tema "Um apelo ao diálogo sobre a sustentabilidade da vida no contexto da Asean", a Associação das Nações do Sudeste Asiático.

A reportagem é de Stefano Leszczynski, publicada no sítio da Radio Vaticana, 10-08-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O evento – que ocorre na Universidade Católica Sanata Dharma de Yogyakarta, fundada pela Companhia de Jesus – conta com a participação de mais de 150 pessoas provenientes de todos os países da região e tem como objetivo encontrar bases comuns para abordar, de forma compartilhada, os problemas ligados ao ambiente, à luta contra a pobreza e ao diálogo inter-religioso.

A Indonésia é o país muçulmano mais populoso do mundo e é tradicionalmente inspirado por uma cultura tolerante, mas, nos últimos anos, o fundamentalismo islâmico está perigosamente entrando na sociedade.

Sobre o encontro, ouvimos o vice-reitor da Sanata Dharma University, Prof. Ouda Teda Ena.

"Um dos temas de debate durante essa conferência é o do diálogo inter-religioso. Porque, no Sudeste Asiático, a composição da população é bastante variada a partir de um ponto de vista religioso. E, com o diálogo inter-religioso, também há a esperança de que as pessoas possam se compreender melhor reciprocamente. Desse modo, podemos combater alguns aspectos do fundamentalismo nas religiões."

Entre os temas da conferência, também está o do papel da educação na promoção do diálogo entre culturas e fés diferentes.

"Sim, é verdade. Uma das chaves para que isso ocorra passa justamente pela cultura e pelo diálogo inter-religioso. E essa é a razão pela qual, desta vez, a conferência é realizada em uma instituição universitária, como a Sanata Dharma. Desse modo, temos uma compreensão melhor de como a educação deve ser promovida. Uma das propostas, por exemplo, é que, nas escolas, seja promovido o diálogo inter-religioso através do ensino de mais religiões, e não apenas da majoritária. Na Indonésia, o nosso governo reconhece seis religiões diferentes e, em nível universitário, no nosso ordenamento, temos um curso de estudos dedicado ao estudo de todas as religiões reconhecidas pela Constituição indonésia."

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jesuítas da Indonésia: diálogo, a melhor arma contra o fundamentalismo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV