Sudão do Sul: missionários verbitas são forçados a deixar o país devido aos ataques contínuos contra a sua missão

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • "Nunca, nunca encobrir a realidade. Dizer sempre: 'É assim'”. Papa Francisco recebe a redação da revista jesuíta Aggiornamenti Sociali

    LER MAIS
  • O aumento da pobreza na América Latina submergente

    LER MAIS
  • Um estranho casamento: neoliberalismo e nacionalismo de direita

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Agosto 2016

Os verbitas deixam o Sudão do Sul. É o triste resultado de uma prolongada série de ataques brutais contra a missão de Lainya, onde estão presentes muitos refugiados, também da Uganda.

A nota é do Servizio Informazione Religiosa (SIR), 25-08-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A violência desestabilizou a região e colocou em grave perigo a população e os missionários da Sociedade do Verbo Divino. O futuro parece sombrio para o Sudão do Sul.

Os verbitas decidiram abandonar a sua missão fundada em 2012, confirmando: "No fim, sentimo-nos espectadores impotentes, capturados em um vórtice de inveja, ódio e violência sem fim", confirmou o missionário verbita padre Francis Joseph Naduviledathu ao portal da Igreja alemã Katholisch.de.

Os militares e as milícias dos rebeldes combateram "lutas brutais" em Lainya, confirmou o missionário, afirmando que "a paz continua sendo um sonho distante no Sudão do Sul".

Uma noite, soldados do governo bêbados atiraram selvagemente pelas ruas de Lainya, contou o padre Naduviledathu, e, no fim de julho, a missão foi atacada pelos soldados: "Eles nos intimidaram com as suas armas, escolheram dois dos ugandeses refugiados na missão, arrastaram-nos pelas imediações da igreja e atiraram contra eles. Um dos ugandenses morreu na hora", contou o padre Francis Joseph, confirmando como "improvável" um retorno ao Sudão do Sul em um curto espaço de tempo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Sudão do Sul: missionários verbitas são forçados a deixar o país devido aos ataques contínuos contra a sua missão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV