Compartilhar Compartilhar
Aumentar / diminuir a letra Diminuir / Aumentar a letra

Notícias » De olho no Vale

Índice de pobreza e indigência no Vale dos Sinos: a caminho dos Objetivos do Milênio

O Observatório de Indicadores e Políticas Públicas do Vale do Rio dos Sinos , do Instituto Humanistas Unisinos - IHU, objetiva publicizar a realidade da região a partir dos Objetivos do Desenvolvimento Milênio – ODM. Estaremos analisando os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no contexto dos 14 municípios que compõem o Vale do Rio dos Sinos.

Neste primeiro momento veremos o que são os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.



Em setembro de 2000, líderes mundiais preocupados com as grandes questões globais reuniram-se na sede da ONU, em Nova York, durante a Cúpula do Milênio. Desse encontro resultou a Declaração do Milênio, documento que reflete as preocupações de 147 chefes de Estado e de governo e de 191 países participantes da maior reunião de dirigentes mundiais, até aquele momento.

O Brasil é signatário desse documento que oficializou um pacto mundial para a eliminação da fome e a pobreza no planeta até 2015. Para isto, foram estabelecidos os 8 Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

  • Erradicar a extrema pobreza e a fome
  • Atingir o ensino básico universal
  • Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres
  • Reduzir a mortalidade infantil
  • Melhorar a saúde materna
  • Combater o HIV, malária e outras doenças
  • Garantir a sustentabilidade ambiental
  • Estabelecer uma parceria mundial de desenvolvimento

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) estabelecem para o mundo metas claras e prazos para reduzir a pobreza em suas múltiplas dimensões, ao mesmo tempo em que promovem a igualdade de gênero, a educação e o respeito ao meio ambiente, em coerência com os direitos humanos básicos – os direitos de cada pessoa no planeta à saúde, à educação, à moradia – como prometido na Declaração Universal dos Direitos Humanos e na Declaração do Milênio das Nações Unidas.

No Brasil a coordenação geral dos ODMs é feita pela Secretária Geral da Presidência da República e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD/Brasil. O Rio Grande do Sul conta, desde Setembro de 2009, com o Movimento Nós Podemos RS que têm como finalidade a ação conjunta de diversos atores sociais para acompanhar o processo da implementação dos objetivos no Estado.

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) tem contribuído tecnicamente para a apresentação e analise dos indicadores, em vista do monitoramento dos ODMs no Estado, disponibilizando-os através de um site.

Através destas referencias e motivações, o Observatório de Indicadores e Políticas Públicas do Vale do Rio dos Sinos passa a contribuir na reunião e analise dos dados da região relativos aos ODMs. Pretendemos  com isso contribuir na qualificação das Políticas Públicas municipais e regional.

Em relação ao primeiro objetivo do milênio, que é erradicar a extrema pobreza e a fome, utiliza-se no Brasil como metodologia oficial para definição de pobreza a referência do Salário Mínimo. Assim, as famílias com renda de até 1/4 do salário mínimo per capita são consideradas extremamente pobres ou na linha de indigência e as famílias com renda de até 1/2 salário mínimo per capita são consideradas pobres ou na linha de pobreza.

Os municípios do Vale dos Sinos analisados a partir dos indicadores de Pobreza e Indigência, apresentam-se da seguinte forma:

A partir deste quadro observa–se que os municípios do Vale dos Sinos têm grandes chances de alcançarem em 2015 o objetivo de erradicar a extrema pobreza e a fome. Apesar deste avanço, indica–se que em 2015 ainda contaremos na região com um percentual significativo das pessoas vivendo a pobreza e as suas consequências. Estima–se que naquele ano 8,8% da população, ou seja, 120.000 pessoas estarão vivendo em situação de indigência e de pobreza.

Para o enfrentamento desta realidade é fundamental avaliar e qualificar a implementação das políticas públicas. Neste sentido, o Secretário Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação de Campo Bom, Maximiliano Messias de Souza, destaca que “o trabalho intersetorial das diferentes políticas públicas garante um olhar ampliado sobre as reais necessidades básicas humanas e o comprometimento dos atores sociais envolvidos” é de fundamental importância.
O Observatório do Vale dos Sinos considera estratégico dar seqüência à aproximação dos dados e realização de análises sobre os ODMs, que alguma forma oportunizam a análise da realidade e das políticas públicas.

Na busca deste aprofundamento e debate estará sendo realizado o Seminário Estadual de disseminação e monitoramento dos ODMs, no dia 08 de junho de 2010, das 8h30min às 17h30min. no Auditório da Empresa de Correios e Telégrafos, na Rua Siqueira Campos, 637, Porto Alegre. Todos estamos convidados a participar!

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se

Quero receber:


Refresh Captcha Repita o código acima:
 

Novos Comentários

"É incrível como se anula a vontade e a existência dos donos da terra que são os indigenas. Eles ..." Em resposta a: Dilma e Aécio não consultam índios e adotam propostas contrárias aos seus direitos
"Realmente uma matéria profunda, reflexo de estudo técnico e científico. A grande corrida(ataque) ..." Em resposta a: A complexa teia hídrica que brota do Cerrado está ameaçada. Entrevista especial com Altair Sales Barbosa
"O sucesso da Dilma está no meio dos pobres. Estou de acordo com foi dito por todos aqueles que sens..." Em resposta a: Empregos, salários e universidades explicam sucesso de Dilma no Nordeste

Conecte-se com o IHU no Facebook

Siga-nos no Twitter

Escreva para o IHU

Adicione o IHU ao seus Favoritos e volte mais vezes