Relíquia confirma que São Francisco realmente carregava pão na sua bolsa

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Nunca se viu no Brasil um governo tão abençoado pelas igrejas

    LER MAIS
  • Cardeal Hollerich “está aberto” ao sacerdócio das mulheres

    LER MAIS
  • "A REPAM é fazer conectar aquilo que é comum de todos". Entrevista com João Gutemberg Sampaio, novo secretário executivo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Outubro 2017

Realmente remonta ao ano de 1200 o “Saco de São Francisco”, uma relíquia conservada no mosteiro de Folloni, perto de Montella (Avellino), na Campânia, Itália. E o seu conteúdo, segundo os cientistas e como conta a lenda, seria justamente pão. Foi o que revelou um estudo publicado na Radiocarbon, revista da Cambridge University Press, e realizado por Ilaria Degano e Maria Perla Colombini, da Universidade de Pisa, com os pesquisadores da University of Southern Denmark e da Leiden University (Holanda).

A reportagem foi publicada por La Repubblica, 02-10-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

De acordo com a lenda, o saco de pão teria aparecido no limiar do mosteiro de Folloni no inverno de 1224, enviado por São Francisco graças a um anjo para saciar os monges sitiados pela neve e pelos lobos. Confrontando milagre e ciência, explica uma nota da Universidade de Pisa, “o estudo, portanto, previu a datação por radiocarbono de um fragmento do saco e a análise dos rastros sobreviventes de pão por parte do grupo de trabalho de Ciências Químicas Aplicadas aos Bens Culturais”.

“A datação do radiocarbono – enfatiza Ilaria Degano – posiciona a amostra com alta probabilidade entre 1220 e 1295, confirmando, portanto, a idade da relíquia. E as análises realizadas por cromatografia de gases com revelação por espectrometria de massa revelaram a presença de ergosterol, que é justamente um marcador molecular conhecido nos estudos arqueométricos como indicador de fermentação para a produção de cerveja ou pão”.

Por fim, de acordo com a professora de Pisa, “é muito interessante do ponto de vista analítico que um marcador molecular tenha conseguido se conservar em amostras tão antigas, mas, para termos certeza dos resultados e excluir o risco de contaminação, examinamos também outros objetos conservados juntos com a relíquia, nos quais não encontramos nenhum vestígio de ergosterol”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Relíquia confirma que São Francisco realmente carregava pão na sua bolsa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV