Nasa acredita que encontrará vida extraterrestre em menos de dez anos

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desmonte do SUS: decreto anuncia privatização da atenção básica em retrocesso histórico

    LER MAIS
  • CNBB convida brasileiros a plantarem uma árvore no Dia de Finados em memória dos que se foram

    LER MAIS
  • O Papa, os Gays e o Ídolo da Doutrina Imutável

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


10 Abril 2015

Na medida em que as missões da Nasa exploram o sistema solar e buscam novos mundos, a agência espacial americana fica mais perto de encontrar vida fora de nosso planeta. E está certa de que a encontrará antes de uma década.

A reportragem foi publicada no jornal El País, 09-04-2015.

"As atividades da Nasa proporcionaram uma onda de descobertas assombrosas relacionadas à água nos últimos anos, que nos inspiram a continuar investigando as origens e as fascinantes possibilidades de outros mundos e da vida no universo", disse ontem Ellen Stofan, chefe científica da agência. "Em nosso horizonte vital, podemos muito bem finalmente responder se estamos sós no sistema solar e ir mais além."

"Creio que teremos fortes indícios de vida além da Terra dentro de uma década, e que teremos evidências definitivas dentro de 20 ou 30 anos. Sabemos onde procurar e sabemos como procurar", explicou Stofan durante um encontro informativo da Nasa.

Os elementos químicos na água - hidrogênio e oxigênio - são alguns dos elementos mais abundantes no universo. Acredita-se que vários mundos poderiam possuir água líquida embaixo de suas superfícies, e que muitos outros tenham água em forma de gelo ou vapor. A água se encontra nos organismos primitivos como os cometas e os asteroides e em planetas anões como Ceres.

Acredita-se que as atmosferas e os interiores dos quatro planetas gigantes - Júpiter, Saturno, Urano e Netuno - contenham enormes quantidades dessa substância, e suas luas e anéis, gelo.

John Grunsfeld, um dos chefes da missão científica da Nasa, compartilhou ontem o otimismo de Stofan: "Creio que estamos apenas a uma geração [de encontrar vida], seja em uma lua gelada ou em Marte". "A Via Láctea é um lugar empapado", afirmou Paul Hertz, diretor da divisão de astrofísica da Nasa.
Talvez os mundos de água mais surpreendentes sejam as cinco luas geladas de Júpiter e Saturno, que mostram uma forte evidência de oceanos sob suas superfícies: Ganimedes, Europa e Calisto em Júpiter, e Encélado e Titã en Saturno.

Os cientistas que usam o telescópio espacial Hubble da Nasa apresentaram recentemente poderosas evidências de que Ganimedes tem um oceano de água salgada embaixo da superfície, provavelmente intercalada entre duas camadas de gelo.

Acredita-se que Europa e Encélado tenham oceanos de água líquida embaixo de sua superfície em contato com a rocha rica em minerais, e poderiam ter os três ingredientes necessários para a vida tal como a conhecemos: água líquida, elementos químicos essenciais para os processos biológicos e fontes de energia que poderiam ser utilizadas pelos seres vivos.

A missão Cassini da Nasa revelou Encélado como um mundo ativo de gêiseres gelados. Outras missões também encontraram indícios de água nas crateras na sombra permanente sobre Mercúrio e a Lua. Em Marte, a Nasa encontrou provas claras de que o planeta vermelho teve água em sua superfície por muito tempo no passado distante. A sonda Curiosity descobriu um antigo leito de rio que existia no meio de condições favoráveis para a vida como a conhecemos.

A missão Dawn da Nasa, entretanto, está estudando Ceres, que é o maior corpo do cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter. Os pesquisadores acreditam que Ceres poderia ter uma composição rica em água semelhante a alguns dos organismos que trouxeram água para os planetas rochosos interiores, incluindo a Terra.

Com o estudo dos exoplanetas - planetas que orbitam outras estrelas -, estamos mais próximos que nunca de averiguar se existem outros mundos ricos em água como o nosso. Cada estrela tem uma zona habitável, ou um grau de distâncias ao seu redor em que as temperaturas não são altas demais nem baixas demais para que exista água líquida.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nasa acredita que encontrará vida extraterrestre em menos de dez anos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV