Francisco declara que “o mundo está em guerra” após assassinato de padre francês. “Mas não se trata de guerra religiosa”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desgaste do discurso evangélico

    LER MAIS
  • Outro papa. Ratzinger, sua renúncia e o confronto com Bergoglio

    LER MAIS
  • ‘Eu serei sempre minoria’, diz padre Júlio sobre sua vocação em ajudar pobres e oprimidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


28 Julho 2016

O Papa Francisco respondeu ao assassinato brutal de um sacerdote francês cometido por dois terroristas alinhados com o [grupo] chamado Estado Islâmico ao declarar que o mundo está num estado de guerra.

Em breves comentários proferidos nesta quarta-feira de tarde a jornalistas a bordo do avião papal rumo à Cracóvia, o pontífice falou que, embora muitos falem de uma situação de “insegurança” ao redor do mundo, “a verdadeira palavra é guerra”.

A reportagem é de Joshua J. McElwee, publicada por National Catholic Reporter, 27-07-2016. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

“Há tempos dizemos que o mundo está em uma guerra travada em partes”, disse Francisco, falando em tom solene sobre o assassinato na terça-feira de um pároco de 85 anos de idade durante uma celebração da missa em Saint-Etienne-du-Rouvray, na França

Ao comparar a situação atual com a Primeira e a Segunda guerras mundiais, o pontífice declarou: “Não é tão orgânica, talvez; organizada, sim, mas não tão orgânica; mas é guerra”.

“Este santo sacerdote, que morreu precisamente no momento em que fazia a oração por toda a Igreja, é ‘um’; mas quantos cristãos, quantos inocentes, quantas crianças [já morreram]?”, perguntou-se ele.

“Não tenhamos medo de dizer esta verdade”, disse Francisco. “O mundo está em guerra”.

Francisco estava falando na quarta-feira, dia 27 de julho, a respeito da morte do padre Jacques Hamel, morto a facadas por dois homens na terça-feira. Os agressores fizeram ainda três reféns que participavam da missa antes de serem mortos pelas forças de segurança francesas.

O grupo Estado Islâmico chamou de “agentes” os homens que realizaram o ataque. Autoridades francesas afirmaram que um havia tentado chegar à Síria no ano passado, mas foi detido na Alemanha e retornou à França, onde foi posto sob vigilância.

O papa esclareceu, no final de seus comentários no avião, que não se tratava de uma guerra religiosa.

“Existe guerra de interesses, existe guerra pelo dinheiro, existe guerra pelos recursos da natureza, existe guerra pelo domínio dos povos”, afirmou ele. “Estas são as guerras”.

“Alguém pode pensar que eu estou falando de guerra de religiões. Não! Todas as religiões querem a paz”, disse.

O papa também elogiou a resposta do presidente francês François Hollande após o ataque, dizendo que o líder agiu “como um irmão” em sua resposta.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco declara que “o mundo está em guerra” após assassinato de padre francês. “Mas não se trata de guerra religiosa” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV