Comemoração ecumênica conjunta da Reforma será celebrada na Suécia

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Manifesto do Laicato em apoio aos bispos que subscreveram a “Carta ao Povo de Deus” com 1440 assinaturas no primeiro dia

    LER MAIS
  • Com mais de 1.500 assinaturas, Padres da Caminhada relançam mensagem de apoio à Carta ao Povo de Deus dos bispos

    LER MAIS
  • “A pandemia viral é o resultado da pandemia psicológica e espiritual”, afirma Gastón Soublette

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


26 Janeiro 2016

A Federação Luterana Mundial (FLM) e a Igreja Católica irão realizar uma comemoração ecumênica conjunta da Reforma no dia 31 de outubro de 2016 em Lund, Suécia.

A reportagem é do sítio da Federação Luterana Mundial (FLM), 25-01-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O Papa Francisco, o presidente da FLM, bispo Dr. Munib A. Younan, e o secretário-geral, Rev. Dr. Martin Junge, vão presidir a comemoração ecumênica em cooperação com a Igreja da Suécia e a Diocese Católica de Estocolmo.

O evento ecumênico conjunto irá ocorrer na cidade de Lund, antecipando o aniversário de 500 anos da Reforma em 2017. Ele irá destacar os sólidos desenvolvimentos ecumênicos entre católicos e luteranos, e os dons conjuntos recebidos através do diálogo. O evento incluirá um culto comum baseado no guia litúrgico católico-luterano "Oração Comum", recentemente publicado.

"A FLM está se aproximando do aniversário da Reforma em um espírito de responsabilidade ecumênica", diz o secretário-geral da FLM, Rev. Dr. Martin Junge. "Sou movido pela profunda convicção de que, trabalhando em prol da reconciliação entre luteranos e católicos, nós estamos trabalhando no sentido da justiça, da paz e da reconciliação em um mundo dilacerado por conflitos e violência."

O cardeal Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPCU) explica ainda: "Ao se concentrarem juntos na centralidade da questão de Deus e em uma abordagem cristocêntrica, luteranos e católicos terão a possibilidade de uma comemoração ecumênica da Reforma, e não simplesmente de uma forma pragmática, mas no sentido profundo da fé no Cristo crucificado e ressuscitado".

"É com alegria e expectativa que a Igreja da Suécia acolhe a Federação Luterana Mundial e a Igreja Católica para hospedar a comemoração conjunta da Reforma em Lund", diz a arcebispa da Igreja da Suécia, Antje Jackelén. "Nós vamos rezar juntos com toda a família ecumênica na Suécia para que a comemoração contribua com a unidade cristã no nosso país e em todo o mundo."

"A situação ecumênica na nossa parte do mundo é única e interessante. Eu espero que esse encontro nos ajude a olhar para o futuro, para que possamos ser testemunhas de Jesus Cristo e do Seu evangelho no nosso mundo secularizado", diz Anders Arborelius OCD, bispo da Igreja Católica na Suécia.

O evento de Lund faz parte do processo de recepção do documento de estudo "Do conflito à comunhão", que foi publicado em 2013 e, desde então, tem sido amplamente distribuído nas comunidades luteranas e católicas. O documento é a primeira tentativa por parte de ambos os parceiros de diálogo de descrever juntos, em um nível internacional, a história da Reforma e as suas intenções.

No início deste ano, a FLM e o PCPCU enviaram às Igrejas-membro da FLM e às Conferências Episcopais a "Oração Comum" preparada em conjunto, que é um guia litúrgico para ajudar as Igrejas a comemorarem o aniversário Reforma juntas. Ele se baseia no documento de estudo "Do conflito à comunhão: a comemoração comum luterano-católica da Reforma em 2017", e apresenta os temas da ação de graças, do arrependimento e do compromisso com um testemunho comum com o objetivo de expressar os dons da Reforma e pedir perdão pela divisão que se seguiu a disputas teológicas.

O ano de 2017 também vai marcar os 50 anos do diálogo luterano-católico internacional, que tem produzido notáveis resultados ecumênicos, dos quais o mais significativo é a Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação. A declaração foi assinada pela FLM e pela Igreja Católica em 1999, e afirmada pelo Conselho Metodista Mundial em 2006. A declaração anula disputas seculares entre católicos e luteranos sobre as verdades básicas da doutrina da justificação, que estava no centro da Reforma do século XVI.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Comemoração ecumênica conjunta da Reforma será celebrada na Suécia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV