O Patriarca copta Tawadros II: analisada a hipótese de celebrar juntos a Páscoa no terceiro domingo de abril

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • A barbárie com rosto humano. Artigo de Slavoj Zizek

    LER MAIS
  • A vida após a emergência do vírus não será a mesma de antes: como mudarão as lojas, escolas, viagens, restaurantes

    LER MAIS
  • ‘Após o coronavírus, o mundo não voltará a ser o que era’

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


07 Mai 2015

O debate sobre a oportunidade de unificar as datas das solenidades litúrgicas atualmente celebradas em dias diferentes por várias Igrejas e comunidades de batizados diz respeito a “um problema histórico” que, por si, não tem implicações de fé e de doutrina. Por isso, está sendo estudada a proposta de unificar para todas as Igrejas cristãs a data da Páscoa, e a hipótese levada em consideração é fixar a celebração da Ressurreição de Cristo “no terceiro domingo de abril”. Esta é a perspectiva traçada pelo Patriarca Tawadros II no decorrer de um encontro com os jovens realizado na noite de domingo, 3 de maio, no Centro cultural copta de Amsterdã, no âmbito da visita realizada pelo Papa Tawadros aos Países Baixos e a outras nações europeias.

A reportagem foi publicada no sítio Agência Fides, 05-05-2015.

A solicitação de unificar a data da celebração da Páscoa já havia sido expressa pelo Patriarca copta numa carta enviada em maio de 2014 ao Papa Francisco, por ocasião do primeiro aniversário do seu encontro no Vaticano. O Primaz da Igreja cristã numericamente mais consistente entre aquelas presentes nos países árabes voltou a propor a questão também em 9 de novembro passado, intervindo em Viena nas celebrações pelos 50 anos da Fundação Pró-Oriente.

A unificação das datas de celebração da Páscoa da Ressurreição é uma urgência particularmente sentida no norte da África e no Oriente Médio, onde convivem no mesmo território Igrejas e comunidades cristãs que fixam o dia da Páscoa de maneira diferente, tendo como critério de referência algumas o calendário Juliano e outras o calendário Gregoriano.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Patriarca copta Tawadros II: analisada a hipótese de celebrar juntos a Páscoa no terceiro domingo de abril - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV