Zé Dirceu escorrega mais uma vez, segundo sociólogo

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Com Francisco ou fora da Igreja. O duro desabafo do presidente da CEI

    LER MAIS
  • Núcleo de pesquisa da USP publica nota sobre criacionismo defendido por novo Presidente da CAPES

    LER MAIS
  • A nova teologia do Ecoceno. Entrevista com Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Novembro 2013

Do blog de Rudá Ricci, sociólogo, 27-11-2013:

No PT, sempre se disse que a melhor forma de fazer Zé Dirceu se enrolar é jogar os holofotes para ele. Nos bastidores, é quase imbatível. Mas à luz do dia, a vaidade e autoconfiança são tão agigantadas que o escorregão é inevitável.

A prova foi este contrato de trabalho para ser gerente de um hotel com salário de 20 mil reais mensais.

O hotel Saint Peter tem história em Brasília. E muito citada. Irmão quase siamês do Saint Paul, foi leiloado em 2005 para pagar indenizações às famílias vítimas do desabamento do Edifício Palace 2, todos de propriedade, até então, de Sérgio Naya. Emblemático, não?

Hoje, o Saint Peter é propriedade de Paulo Masci, filiado do PTN (ex-deputado por este partido) e também proprietário de várias rádios em São Paulo (como a Tupi FM).

Somente a vaidade e sentimento quase doentio de poder pode explicar a tranquilidade em definir este salário para uma função que, no mesmo hotel, em agosto do ano passado, se recebia 1,8 mil reais mensais (segundo cópia da carteira de trabalho da então gerente geral do Hotel Saint Peter, Valéria Linhares).

Sei que alguns "puristas" dirão que o salário pago é problema de quem contrata, o que é um fato. A questão não é trabalhista, mas política. É razoável e prudente jogar para si esta situação? Não fica parecendo chacota?

O problema é este: Zé Dirceu, em público, acaba perdendo a medida do razoável e da prudência. Um problema crônico para quem o conhece.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Zé Dirceu escorrega mais uma vez, segundo sociólogo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV