Assentados do Milton Santos ocupam sede do Instituto Lula em São Paulo

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O fenômeno dos padres fisiculturistas e estrelas das redes sociais

    LER MAIS
  • “O Papa me disse: Deus ama os filhos homossexuais como eles são”

    LER MAIS
  • Francisco para os pais e mães de homossexuais: “A Igreja ama os vossos filhos do jeito que eles são, porque são filhos de Deus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 24 Janeiro 2013

Objetivo é pressionar o ex-presidente a interceder contra a ação de despejo das famílias do Assentamento Milton Santos, em Americana (SP).

A reportagem é de Camila Maciel e publicado pela Agência Brasil, 23-01-2013.

Famílias do Assentamento Milton Santos ocuparam nesta quarta-feira (23), por volta de 6h30, a sede do Instituto Lula, no bairro Ipiranga, zona sul da capital paulista. Com o ato, os manifestantes querem pressionar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a interceder com a presidenta Dilma Rousseff para evitar a reintegração de posse da área do assentamento, em Americana (SP). Eles têm até o próximo dia 30 para deixar o local voluntariamente.

De acordo com a Polícia Militar (PM), viaturas foram enviadas ao local por volta das 7h30. "Estamos em contato com eles [os PMs] e, por enquanto, a situação é tranquila", relatou Vandré Paladini, advogado das famílias. De acordo com os manifestantes, cerca de 80 pessoas participam do ato. A PM informou que a ocupação conta com 30 manifestantes.

Por volta das 9h da manhã, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, esteve no local. Segundo Vandré Paladini, Okamotto se comprometeu a entrar em contato com integrantes do governo para intermediar uma solução para o caso. "Mas não temos nada de efetivo. Vamos ficar por aqui até que algo mais concreto seja feito", declarou o advogado.

No Milton Santos, vivem cerca de 70 famílias assentadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) há sete anos, segundo o movimento. As famílias reivindicam a desapropriação por interesse social, única medida legal que pode reverter o despejo, determinado pela Justiça no dia 28 de novembro.

Paladini informou que, desde a tarde de ontem, quatro manifestantes estão acorrentados e fazem greve de fome em frente ao escritório da Presidência da República em São Paulo.


Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Assentados do Milton Santos ocupam sede do Instituto Lula em São Paulo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV