Democracia foi respeitada, diz dom Paulo

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Rico ri à toa

    LER MAIS
  • Charles Chaput, arcebispo emérito da Filadélfia, chama o Papa Francisco de mentiroso

    LER MAIS
  • No caminho do Reino com Pe. Zezinho, scj - Resenha

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


01 Dezembro 2012

Em carta escrita a mão, endereçada à "comunidade da PUC", o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, 90, arcebispo emérito de São Paulo, diz que "a democracia foi respeitada" na escolha da nova reitora.

"Por seguir, com espanto, os acontecimentos em nossa tão respeitada PUC-SP, devo concluir para o bem de todos: a democracia [sublinhada] foi respeitada, pois o cardeal dom Odilo Pedro escolheu um dos três professores da lista tríplice", escreve.

A informação é publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 01-12-2012.

Dom Paulo é um dos mais conhecidos militantes da democracia e dos direitos humanos no país e teve atuação destacada durante a ditadura militar (1964-84), quando saiu em defesa de presos políticos e denunciou a tortura.

A sua intervenção ocorre no momento em que a oposição à posse da reitora Anna Cintra acusa dom Odilo de ter ferido a democracia na universidade ao nomear a terceira colocada na eleição.

Ele foi arcebispo de São Paulo de 1970 a 1988 e foi grão-chanceler da PUC.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Democracia foi respeitada, diz dom Paulo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV