Morre Tomás Borge, último fundador vivo da Frente Sandinista da Nicarágua

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que muda (para pior) no financiamento do SUS

    LER MAIS
  • Ou isto, ou aquilo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia aumenta 212% em outubro deste ano, aponta Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Maio 2012

O fundador da ex-guerrilheira FSLN (Frente Sandinista de Libertação Nacional) da Nicarágua Tomás Borge Martínez morreu nesta segunda-feira (30/04), aos 81 anos, após permanecer quase um mês hospitalizado por uma complicação pós-operatória nos pulmões. Borge, único sobrevivente dos fundadores da FSLN, faleceu no Hospital Militar Alejandro Dávila Bolaños de Manágua.

A informação é do sítio Opera Mundi, 01-05-2012.

A notícia foi confirmada pela primeira-dama e porta-voz do governo, Rosario Murillo, que, com a voz embargada, anunciou nesta terça-feira (01/05) o falecimento do comandante Borge Martínez, "um daqueles mortos que nunca morrem", em suas palavras. "Estará sempre conosco na Frente Sandinista e nesse processo revolucionário para construir o bem comum. Estará conosco em cada batalha, em cada vitória, no avanço imparável em direção de mais justiça, mais bem-estar para  todas as famílias nicaraguenses."

Murillo também recordou como Borge esteve à frente em todos os momentos da luta revolucionária, "na montanha, nos combates urbanos contra a ditadura, no dia do triunfo e em todas as batalhas durante os dez anos da primera etapa da revolução, frente aos duros 16 anos e na vitória em 2006."

Ex-ministro de Interior e membro da Direção Nacional da FSLN durante o primeiro governo sandinista (1979-1990), Borge foi nomeado embaixador da Nicarágua no Peru e foi eleito deputado nas últimas eleições gerais em novembro de 2011. Ele e o comandante Bayardo Arce Castaño, que atualmente é assessor econômico da Presidência, foram os únicos membros da Direção Nacional que não abandonaram as filas do partido da FSLN depois da derrota eleitoral de 1990 e da divisão interna que deu vida ao Mrs (Movimento renovador sandinista).

Durante uma entrevista dada ao portal El 19 digital em seu aniversário de 80 anos, Borge disse não temer a morte: "Me sinto orgulhoso de continuar sendo sandinista, de seguir sendo fiel à bandeira preta e vermelha do nosso partido, de seguir sendo fiel à nossa organização revolucionária; e morrer orgulhoso de ter a cabeça levantada, de não ter sido desleal con meus princípios, ou desleal com meus amigos ou companheiros, nem com a minha bandera, ou com os gritos de combate", afirmou.

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, declarou três dias de luto nacional pela morte de Borge. Poeta, escritor e precursor da luta contra a ditadura dos Somoza, será sepultado na Praça da Revolução, ao ldo do mausoléu dedicado a Carlos Fonseca Amador, co-fundador e ideólogo da FSLN, morto em combate em 1976. Nesse 1 de maio, milhares de nicaraguenses de todos os setores sociais homenageraram Borge.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Morre Tomás Borge, último fundador vivo da Frente Sandinista da Nicarágua - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV