Educação concentra maior bloqueio de verbas do orçamento deste ano

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Enquanto Francisco visitava a Eslováquia, a comunidade internacional celebra a mulher sacerdote da Tchecoslováquia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Abril 2021

 

O Ministério da Educação concentra quase 30% das verbas bloqueadas pelo governo federal na sanção do orçamento deste ano. Dos R$ 9,2 bilhões atingidos pela medida, R$ 2,7 bilhões são de verbas da pasta.

 

Sala de aula do ensino médio. Foto: Arquivo | Agência Brasil.

A reportagem é de Ana Krüger, publicada por Congresso em Foco, 23-04-2021.

Os órgãos com dinheiro bloqueado têm sete dias para detalhar quais rubricas serão enquadradas. Pelo decreto do presidente Jair Bolsonaro, publicado nesta sexta-feira (23) no Diário Oficial da União, o bloqueio foca em despesas primárias discricionárias, ou seja, aquelas não obrigatórias.

Entre os ministérios, só Saúde e Meio Ambiente não tiveram verbas bloqueadas. O primeiro foi incluído na medida que deixa de fora do teto de gastos as despesas com a pandemia de covid-19. E o segundo, de acordo com Bolsonaro, deve ter o orçamento dobrado nas áreas de fiscalização ambiental. Além do bloqueio de verbas, a educação também foi atingida pelos vetos no orçamento, que, no caso do ministério, concentram-se principalmente nas instituições de ensino superior. Os cortes se dão no momento em que a pandemia impacta diretamente o ensino, da educação básica à superior.

A verba bloqueada ainda poderá ser utilizada neste ano caso haja espaço no teto de gastos. Já as despesas vetadas estão definitivamente excluídas do orçamento.

O choque no orçamento da educação também se dá em meio às discussões sobre o retorno das aulas presenciais. Na próxima semana, o Senado deve votar o PL 5595/2020, já aprovado na Câmara, e que torna a educação serviço essencial.

Para a coordenadora geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda, os vetos e bloqueios só dificultarão a volta segura às escolas. Ela lembra que, na proposta inicial da lei orçamentária, o ministério teria R$ 144,5 bilhões. O valor sancionado foi de R$ 75,6 bilhões.

“Isso mostra mais ainda como é totalmente incoerente a aprovação do PL 5595/2020, porque sequer temos orçamento público para garantir escolas seguras. Para garantir salários, obras de infraestrutura para retorno seguro e para alimentação escolar, por exemplo, precisávamos de um orçamento de R$ 181,4 bilhões”, afirma.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Educação concentra maior bloqueio de verbas do orçamento deste ano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV