Caminho do atraso e o julgamento de Nüremberg do bolsonarismo – Frases do dia

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Ainda há espaço para a missão do padre? Artigo de Giannino Piana

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


12 Abril 2021

 

Atrasado

“Sérgio Buarque de Holanda já ensinou: conservador é uma coisa, atrasado é outra. Bolsonaro e seu pelotão têm os dois pés no atraso” – Elio Gaspari, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Pé no progresso

“Outro dia o jornal francês Le Monde publicou uma reportagem que faria a alegria do general Eduardo Ramos, aquele que não gosta de fotografias de sepultamentos. Louvava a campanha de vacinação brasileira que imunizou 80 milhões de pessoas em poucos meses com uma mistura de 'ambição, audácia e paixão'. Só que isso aconteceu em 1975, quando o Brasil estava numa ditadura que tinha o outro pé no progresso” – Elio Gaspari, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Outra epidemia

“Passou o tempo, a epidemia é outra e o atraso prevaleceu” – Elio Gaspari, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Paredão

“Em julho, Bolsonaro indicará o substituto do ministro Marco Aurélio Mello para a vaga no Supremo Tribunal Federal. Essa escolha era feita com discrição, comparando-se currículos, mas as coisas mudaram. O procurador-geral Augusto Aras e o advogado-geral da União, André Mendonça, disputam a vaga com tamanha ferocidade que o espetáculo assemelha-se às disputas do programa BBB, para ver quem vai para o paredão” – Elio Gaspari, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Mortos por asfixia e a CPI

“Os 61 mortos por asfixia à falta de oxigênio por si só justificam a CPI que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, precisou ser obrigado pelo Supremo a instalar. Esse horror sofrido em hospitais do Amazonas está envolto por quantidade tão torrencial de horrores que uma CPI é insuficiente para dar-lhes as devidas respostas” – Janio de Freitas, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

A CPI é agora ou nunca

“É quando mortes e casos disparam e doem, sobram incertezas quanto às vacinas e certezas quanto à economia, ao emprego e à fome. O momento é de medo, luto, sofrimento. Depois, Bolsonaro conta com o esquecimento para continuar triturando a realidade em 2022, sem pudor nem remorso. A CPI tem, portanto, uma missão moral e política já e um compromisso com a história” – Eliane Cantanhêde, jornalista – O Estado de S. Paulo, 11-0-2021.

 

Poker face

“A decisão de Luís Roberto Barroso sobre a CPI da Covid ajudou a embaralhar todas as cartas da articulação política do governo, nas palavras de um assessor palaciano. Em especial, no Orçamento” – Coluna do EstadãoO Estado de S. Paulo, 11-04-2021.

 

CPI e a sombria projeção

“Mais do que apontar culpados, uma CPI da Pandemia pode reduzir a sabotagem do governo federal e impedir que a sombria projeção de 650 mil mortos em 1º de agosto se concretize. Até porque o principal responsável pelo caos, o presidente da República, não só é bem conhecido como parece se orgulhar do feito” – Leonardo Sakamoto, jornalista – Portal Uol, 12-04-2021.

 

Afastamento do presidente

“O ideal seria o afastamento do presidente. Como senadores e deputados do centrão não vão sacrificar sua galinha dos ovos de ouro e o procurador-geral da República, de olho em uma vaga no Supremo Tribunal Federal, faz até pregação em nome do presidente, faz-se necessário outra forma de pressão” – Leonardo Sakamoto, jornalista – Portal Uol, 12-04-2021.

 

CPI e o julgamento de Nüremberg

“A CPI tem que ser o início do julgamento de Nüremberg que o bolsonarismo merece. Não haverá volta ao normal sem isso. Se deixarmos passar os crimes da pandemia, o que teremos direito de criticar nos próximos governos “normais”, seja lá quando for que eles voltem? Corrupção? Inflação alta? Seria falta de senso de ridículo” – Celso Rocha de Barros, doutor em sociologia – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

Limonada

"Se não mudar a amplitude, a CPI vai simplesmente ouvir o Pazuello, ouvir gente nossa, para fazer um relatório sacana. Tem que fazer do limão uma limonada. Por enquanto, é um limão que tá aí. Dá para ser uma limonada" – Jair Bolsonaro, presidente da República, em conversa telefônica com Jorge Kajuru, senador – Cidadania-GO – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

CPI segundo Bolsonaro

"A CPI hoje é para investigar omissões do presidente Jair Bolsonaro, ponto final. Quer fazer uma investigação completa? Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai vir só pra cima de mim. O que tem que fazer para ser uma CPI que realmente seja útil para o Brasil? Mudar a amplitude dela. Bota governadores e prefeitos. Presidente da república, governadores e prefeitos” – Jair Bolsonaro, presidente da República, em conversa telefônica com Jorge Kajuru, senador – Cidadania-GO – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

Dez para você

“Kaujuru, depois do que nós conversamos aqui, nós dois estamos afinados, é CPI ampla, investigar ministro do supremo. Dez para você”  – Jair Bolsonaro, presidente da República, em conversa telefônica com Jorge Kajuru, senador – Cidadania-GO – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

Kit intubação

“A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou à Câmara o parecer de um procurador segundo o qual o Ministério da Saúde não agiu de má-fé ao cancelar parte da compra do chamado “kit intubação” em agosto do ano passado e, portanto, não pode ser responsabilizado” – Mônica Bergamo, jornalista, Folha de S. Paulo, 12-04-2021.


Efeito

“A pasta cancelou a compra de 13 medicamentos por causa de “preços acima das estimativas de mercado”, segundo relatório do Conselho Nacional de Saúde. Atualmente, o país enfrenta uma crise de desabastecimento de analgésicos, sedativos e bloqueadores musculares” – Mônica Bergamo, jornalista, Folha de S. Paulo, 12-04-2021.


Acontece

“O parecer foi estendido ao caso da Anvisa, que em março deste ano cancelou uma reunião de emergência que discutiria a escassez de medicamentos para intubação porque esqueceu de enviar email convocando o encontro. O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), que apresentou a notícia de fato, diz que irá recorrer da decisão”  – Mônica Bergamo, jornalista, Folha de S. Paulo, 12-04-2021.


Caminho do atraso

“O país está sem liderança exatamente na hora em que mais precisamos dela para enfrentar a pandemia devastadora. O Brasil vive o caminho do atraso, e é preciso retomar o rumo do desenvolvimento o mais rápido possível. Interessa à maioria do nosso povo” - Benjamin Sicsú, presidente do Conselho de Administração da Fundação Amazônia Sustentável, Mauro Dutra, empresário e Milton Seligman, professor do Insper, Global Fellow do Woodrow Wilson Center’s Brazil Institute e ex-ministro da Justiça (abr. a mai.1997, governo FHC) – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

Frente ampla, suprapartidária

“O governo Jair Bolsonaro simboliza e representa esse retrocesso; personifica o atraso que experimentamos em nosso percurso civilizatório. Para retomar o rumo do desenvolvimento democrático, com base em valores humanitários, propomos uma frente ampla, suprapartidária” - Benjamin Sicsú, presidente do Conselho de Administração da Fundação Amazônia Sustentável, Mauro Dutra, empresário e Milton Seligman, professor do Insper, Global Fellow do Woodrow Wilson Center’s Brazil Institute e ex-ministro da Justiça (abr. a mai.1997, governo FHC) – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

Somente um mandato

“No próximo ano, completaremos 200 anos de Independência e estará em nossas mãos fazer uma inflexão em nosso destino. O líder que conduzir a transição terá somente um mandato, mas entrará para a história”- Benjamin Sicsú, presidente do Conselho de Administração da Fundação Amazônia Sustentável, Mauro Dutra, empresário e Milton Seligman, professor do Insper, Global Fellow do Woodrow Wilson Center’s Brazil Institute e ex-ministro da Justiça (abr. a mai.1997, governo FHC) – Folha de S. Paulo, 12-04-2021.

 

Processo de apatifamento

“É como se os 212 milhões de brasileiros estivessem num avião em queda livre, prestes a se espatifar no chão. Levando-se em consideração o esforço que o piloto da aeronave realiza para apatifar a cabine de comando, "espatifar" é o termo apropriado. Para mais de 350 mil mortos por covid o avião já se espatifou. A tragédia alcançará milhares de outras almas. Simultaneamente, Bolsonaro converte sua inépcia num processo de apatifamento da Presidência. Deu para chamar rival de "patife" – Josué de Souza, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Patifaria

“Apatifar é um verbo pouco usado. Significa tornar-se um patife, virar um canalha, aviltar-se. Somando-se à incúria presidencial o linguajar chulo de Bolsonaro, o resultado é a conversão da Presidência numa patifaria. Quem não consegue presidir a própria língua não pode presidir o país” – Josué de Souza, jornalista – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Vacinas e suas garantias

“Em 2022, quando a maior parte dos brasileiros estiver imunizada, será muito difícil convencê-los a não adotar os comportamentos pré-epidemia. Como explicar que a vacinação não será a garantia de que estaremos completamente seguros?” – Drauzio Varella, médico – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Coronavírus veio para ficar

“Sejamos realistas: esse coronavírus veio para ficar entre nós por muito tempo. A vacinação, no entanto, será capaz de evitar os casos graves e as mortes. Não é pouco” – Drauzio Varella, médico – Folha de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Menu

“A parcela do empresariado crítica a Jair Bolsonaro se incomodou com o jantar nesta semana por um motivo especial: o mal gosto de um convescote em meio a quase 350 mil mortes por covid-19 no País” – Coluna do EstadãoO Estado de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Como?

“Para o senador Cid Gomes (PDT-CE), irmão do presidenciável Ciro Gomes, “empresário que defende a política de Bolsonaro é suicida”. “Impossível que alguém veja momento favorável aos negócios neste momento”, disse” – Coluna do Estadão – O Estado de S. Paulo, 11-04-2021.

 

Oi…

“Aloizio Mercadante, ex-ministro de Lula, disse que alguns dos empresários que estiveram no jantar “sempre tiveram excelente diálogo (com o PT) e o fato não mudará isso” – Coluna do Estadão – O Estado de S. Paulo, 11-04-2021.

 

…sumidos

“Tínhamos muito mais dificuldade de dialogar com o empresariado em 2002 do que agora”, afirmou Mercadante” – Coluna do Estadão – O Estado de S. Paulo, 11-04-2021.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Caminho do atraso e o julgamento de Nüremberg do bolsonarismo – Frases do dia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV