Aquecimento antropogênico aumenta a frequência de eventos de calor extremo

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Metaverso? Uma solução em busca de um problema. Entrevista com Luciano Floridi

    LER MAIS
  • “Os pecados da carne não são os mais graves. Os mais graves são aqueles que têm mais angelicalidade: a soberba, o ódio”. Entrevista do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Comunidades Eclesiais de Base, sim. Artigo de Pedro Ribeiro de Oliveira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Janeiro 2021

O fluxo de calor antropogênico, ou de origem humana, na atmosfera próxima à superfície mudou os ambientes térmicos urbanos.

A informação é publicada por Institute of Atmospheric Physics - Chinese Academy of Sciences e reproduzida por EcoDebate, 12-01-2021. A tradução e a edição são de Henrique Cortez

Grande parte dessa flutuação foi observada com o rápido desenvolvimento da economia global e da urbanização desde a virada do século 21. Enquanto isso, o número de eventos de temperatura extrema na primeira década do século 21 cresceu mais rápido do que nos últimos 10 anos do século 20. Durante este período, os eventos de calor extremo urbano tornaram-se mais frequentes, quebrando recordes de temperatura com mais frequência.

“Encontramos as relações entre o fluxo de calor antropogênico e eventos de temperatura extrema …” disse o Prof. XIE Zhenghui, cientista do Instituto de Física Atmosférica da Academia Chinesa de Ciências. “… incluindo eventos extremos de frio e calor, com base em sete índices de temperatura extremas, conduzindo o modelo avançado.”

O fluxo de calor antropogênico reduz os eventos de frio extremo e aumenta os eventos de calor extremo. (Imagem por LIU Bin)

Muitos pesquisadores estudaram eventos de temperaturas extremas urbanas, incluindo o efeito do calor do fluxo de calor antropogênico de diferentes escalas de tempo, o efeito da ilha de calor urbana e as interações sinérgicas entre a ilha de calor urbana e as ondas de calor. No entanto, as relações entre o fluxo de calor antropogênico e eventos de temperatura extrema foram menos estudadas.

“O calor antropogênico aumentou a frequência e a tendência dos eventos de calor extremo, enquanto os eventos de frio extremo foram opostos”, disse o Prof. XIE. Junto com o Dr. LIU Bin, o XIE desenvolveu um estudo de caso em Pequim, China, analisando dados de calor antropogênico com base no consumo de energia. Usando a versão Advanced Research (ARW) do modelo Weather Research and Forecasting (WRF), eles implementaram um esquema de representação dinâmica da liberação de calor antropogênica urbana. Sua pesquisa completa foi publicada em Advances in Atmospheric Sciences .

Ao analisar o processo dinâmico da camada limite da atmosfera, a equipe também encontrou diferenças na eficiência do aquecimento sazonal. Esta pesquisa pode ajudar a mitigar o impacto de eventos de temperaturas extremas em diferentes estações.

Referência:

Liu, B., Xie, ZH., and Coauthors, 2021: Increases in anthropogenic heat release from energy consumption lead to more frequent extreme heat events in urban cities. Adv. Atmos. Sci.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aquecimento antropogênico aumenta a frequência de eventos de calor extremo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV