Covas diz que trabalho de Júlio Lancellotti é “incômodo necessário”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Liberdade e igualdade não bastam: uma cartilha sobre a Fratelli tutti. Artigo de Charles Taylor

    LER MAIS
  • Paraná. Professores entram no sexto dia de greve de fome

    LER MAIS
  • A Economia Anticapitalista dos Franciscos e das Claras

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


17 Setembro 2020

Na terça-feira 15, o padre recebeu ameaças ao prestar assistência às pessoas em situação de rua.

A reportagem é publicada por CartaCapital, 16-09-2020.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), declarou que o trabalho do Padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua de SP, é um “incômodo necessário” para a Prefeitura.

“[O trabalho do padre Júlio é] um incômodo, mas um incômodo necessário para que a Prefeitura não perca o foco de atender e atender bem essa parte da população”. A declaração foi feita durante entrevista concedida ao jornal El País Brasil nesta quarta-feira, 16.

Candidato à reeleição, Covas disse que não há uma investigação em curso “para poder demitir ou retirar do serviço público qualquer pessoa que possa ter ameaçado ele”, mas ressaltou que a Prefeitura está à disposição do sacerdote.

O prefeito ainda disse que se alguém tivesse motivos para reclamar do padre seria ele, que recebe telefonemas todos os dias. “Nunca o padre Júlio veio me solicitar que empregasse um primo, que contratasse empresa de um amigo, nunca veio pedir nada para ele, sempre veio solicitar para essa população que muitas vezes não tem voz”, afirmou o prefeito.

Júlio Lancellotti registrou boletim de ocorrência

Na terça-feira 15, Julio Lancellotti registrou um boletim de ocorrência após receber ameaças na rua por causa de sua atuação.

O padre afirma ter sido ameaçado por um motoqueiro, no centro de São Paulo, que passou por ele em uma praça e gritou “padre filho da p*ta, defensor de nóia”. Alguns homens que também aparecem em um vídeo confirmam a cena de violência.

O caso aconteceu após ataques virtuais do deputado estadual de São Paulo Arthur do Val (Patriotas), conhecido como ‘Mamãefalei’, candidato à Prefeitura.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Covas diz que trabalho de Júlio Lancellotti é “incômodo necessário” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV