Cardeal George Pell publicará seu diário pessoal da prisão

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • O Papa aos Jesuítas da Eslováquia: “No mundo atual nos assusta sermos livres. Temos medo das encruzilhadas do caminho"

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Junho 2020

O cardeal George Pell, ex-ministro das Finanças do Vaticano, condenado e depois absolvido por abuso sexual em sua terra natal, a Austrália, deve publicar o seu diário da prisão, refletindo sobre a vida em confinamento solitário, a Igreja Católica, a política e os esportes.

A reportagem é de Nicole Winfield, publicada por Crux, 21-06-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A editora católica Ignatius Press disse à Associated Press nesse sábado, 20, que a primeira edição do diário de 1.000 páginas provavelmente será publicada em meados de 2021.

“Eu já li a metade até agora, e é uma leitura maravilhosa”, disse o editor, o padre jesuíta Joseph Fessio.

Fessio enviou uma carta à lista de e-mails da Ignatius pedindo doações, dizendo que a editora queria dar a Pell um “adiantamento apropriado” pelo diário, para ajudar a compensar as suas dívidas legais. A editora prevê publicar de três a quatro volumes e também que o diário se tornará um “clássico espiritual”.

Pell cumpriu 13 meses de prisão antes que a Suprema Corte da Austrália o absolvesse em abril de molestar dois coroinhas na Catedral de St. Patrick, em Melbourne, enquanto ele era arcebispo da segunda maior cidade da Austrália nos anos 1990.

No diário, Pell reflete sobre tudo, desde as suas conversas com os advogados sobre o seu caso, até política e esportes dos EUA, e seus esforços de reforma no Vaticano. Ele não tinha permissão para celebrar a missa na prisão, mas aos domingos ele relatou assistir a um programa de coral anglicano. Ele também oferece uma avaliação “geralmente positiva, mas às vezes também crítica” de dois pregadores evangélicos dos EUA, disse Fessio por e-mail.

Por muito tempo, Pell insistiu que era inocente das acusações de assédio sexual e sugeriu que seu processo estava ligado à sua luta contra a corrupção no Vaticano, onde ele atuou como czar financeiro do Papa Francisco até a sua saída em 2017 para enfrentar o julgamento.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Cardeal George Pell publicará seu diário pessoal da prisão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV