Eleições 2020: partidos buscam candidatos evangélicos e policiais

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Párocos, franciscanos, ex-núncios: os treze novos cardeais de Francisco ampliam as fronteiras do Colégio cardinalício

    LER MAIS
  • Milícias do Rio mantêm parceria com polícia, facções e igrejas pentecostais, aponta estudo

    LER MAIS
  • “Temos que entrar em sintonia com o caos”, avalia Franco “Bifo” Berardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


14 Janeiro 2020

Segmentos que aumentaram sua representação no Congresso Nacional viram alvo de legendas para as disputas municipais.

A reportagem é publicada por Rede Brasil Atual - RBA, 13-01-2020.

Surfando na onda que se fortaleceu em 2018, quando temas ligados à moral religiosa e à segurança pública foram muito explorados durante a campanha eleitoral, partidos políticos pretendem recrutar líderes evangélicos e policiais para disputar prefeituras em todo o Brasil.

“Com cerca de 20% do Congresso evangélico, será natural o crescimento dessas candidaturas majoritárias na eleição municipal”, afirma em entrevista ao jornal Valor Econômico o deputado Silas Câmara (Republicanos), presidente da Frente Parlamentar Evangélica e pré-candidato à prefeitura de Manaus.

A reportagem cita levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) apontando o crescimento das duas bancadas nas últimas eleições. A Frente Parlamentar Evangélica ganhou nove deputados em 2018, chegando a 84 representantes. Já a chamada bancada da bala teve um crescimento ainda maior, com 26 novos integrantes, chegando a 61 parlamentares.

Entre os nomes cogitados para as principais cidades figuram o deputado federal Marco Feliciano (sem partido), em São Paulo, e o também deputado Otoni de Paula (PSC), no Rio de Janeiro, que disputaria o eleitorado evangélico com o atual prefeito e bispo da Igreja Universal Marcelo Crivella. Os dois nomes teriam o apoio de Jair Bolsonaro, que ainda tenta viabilizar o seu Aliança pelo Brasil a tempo de disputar as eleições.

Em relação à nova legenda, o presidente conta com o apoio da bancada evangélica, que em dezembro prometeu se mobilizar para obter os 491.967 nomes necessários para a fundação do partido. De seu lado, Bolsonaro tem procurado manter mais estreitas as relações já próximas com os parlamentares. O governo estuda a concessão de subsídio para a conta de luz de grandes templos religiosos, que pagam tarifas mais altas nos horários de maior consumo do dia a exemplo de estabelecimentos como shopping centers.

O PSL é um dos partidos que deve apostar em nomes ligados à área de segurança pública. Em Curitiba, o deputado estadual Delegado Francischini está em segundo lugar nas pesquisas. Já em Manaus, o deputado federal Delegado Pablo (PSL-AM) é o postulante à prefeitura local, enquanto em Florianópolis a legenda deve lançar o comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina Araújo Gomes.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Eleições 2020: partidos buscam candidatos evangélicos e policiais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV