Marque este nome: Luis Antonio Tagle, “menino de ouro” do Vaticano

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Naturalizamos o horror? Artigo de Maria Rita Kehl

    LER MAIS
  • Nice, consternação no Vaticano com a bofetada à fraternidade humana

    LER MAIS
  • Católicas, sim, pelo Direito de Decidir!

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Dezembro 2019

O papa Francisco nomeia o cardeal filipino prefeito da Propaganda Fide. Considerado "papável" já em 2013, ele se tornou um candidato muito forte para o próximo Conclave.

A reportagem é de Maria Antonietta Calabrò, publicada por Huffington Post, 08-12-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

"A luz vem do Oriente", declarou o Papa Francisco no final de sua última viagem ao Japão e à Tailândia. E do Oriente, da Ásia, ele chamou aquele que é unanimemente considerado "o Garoto de Ouro" da Igreja Católica, o arcebispo de Manila, o cardeal Luis Antonio Tagle chamado de "Chito" (como ele mesmo coloca em seu perfil no Twitter) para ocupar o cargo de prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, a antiga Propaganda Fide.

Com "apenas" 62 anos, jovem para os ambientes do Vaticano, Tagle substitui outro dos italianos que estão deixando as estruturas centrais da Igreja, o cardeal Fernando Filoni, dois anos antes da idade canônica para apresentar sua renúncia. Filoni continuará seu serviço, como Grão-Mestre da Ordem dos Cavaleiros do Santo Sepulcro, de onde, em vez disso, sai o cardeal estadunidense Edwin O'Brien que, segundo os rumores do Vaticano, era o prelado em contato pessoal com o presidente dos EUA Donald Trump (e não o cardeal Burke!), que havia apresentado sua renúncia há cinco anos e que expressou seu total apoio à nomeação de Filoni como seu sucessor.

O papa convocou Tagle na Cúria para dirigir uma das congregações mais importantes (também na perspectiva da futura constituição apostólica da reforma, Praedicate Evangelium), a antiga Propaganda Fide, e de uma maneira totalmente incomum anunciou a nomeação no domingo, ainda por cima dia de celebração da Imaculada Conceição. Conforme a tradição, o Papa foi prestar homenagem à Estátua de Nossa Senhora na Piazza di Spagna, erguida sobre uma coluna virada para a fachada do grande Palácio da Propaganda Fide, um dos prédios do Vaticano no centro da cidade (Alcide De Gasperi se refugiou ali durante Segunda Guerra Mundial). Uma escolha talvez não casual, que poderia até aludir a um destaque, já que Tagle já era considerado "papável" em 2013. E a nomeação de Francisco certamente reforça essa possibilidade.

Em todo o mundo, a nomeação de Tagle foi recebida com entusiasmo. Do Padre Antonio Spadaro, diretor da Civiltà Cattolica aos expoentes católicos dos círculos norte-americanos (Padre James Martin, professor Massimo Faggioli). Teólogo respeitado, sua mãe é de origem chinesa, ele recebeu seu doutorado na Universidade Católica da América em Washington (com uma tese sobre a colegialidade do episcopado na doutrina e na prática de Paulo VI). Agora ele liderará as missões no mundo e administrará um patrimônio notável em grande parte concentrado no centro de Roma. Atribuições que fazem da Congregação um dos principais detentores da riqueza do Vaticano e que há quase dez anos deram origem a um escândalo tipicamente italiano (o da camarilha). Após a chegada do Papa Francisco, a Propaganda Fide "resistiu" à vontade do cardeal George Pell de concentrar os bens que administrava sob a égide do Secretariado da Economia.

Tagle, além de chefe da diocese da capital filipina, é presidente da Caritas Internationalis desde 2015 e é apelidado de "Francisco asiático".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Marque este nome: Luis Antonio Tagle, “menino de ouro” do Vaticano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV