Mulheres católicas se manifestarão na próxima quinta-feira na Praça de São Pedro para reivindicar plena igualdade na Igreja

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Bartomeu Melià: jesuíta e antropólogo evangelizado pelos guarani (1932-2019)

    LER MAIS
  • Do samba ao funk, o Brasil que reprime manifestações culturais de origem negra e periférica

    LER MAIS
  • ASA 20 Anos: Água potável é vida e bênção para a infância do Semiárido

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

30 Setembro 2019

Mulheres católicas se manifestarão na próxima quinta-feira, 3 de outubro, na Praça de São Pedro e lançarão a iniciativa #votesforcatholicwomen, para exigir ao Papa e aos bispos plena igualdade na Igreja, há poucos dias do início do Sínodo da Amazônia.

A reportagem é publicada por La Vanguardia, 29-09-2019. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Mulheres católicas se manifestarão na próxima quinta-feira, 3-10, na Praça São Pedro e lançarão a Mulheres católicas se manifestarão na próxima quinta-feira, 3 de outubro, na Praça de São Pedro e lançarão a iniciativa #votesforcatholicwomen, para exigir ao Papa e aos bispos plena igualdade na Igreja, há poucos dias do início do Sínodo da Amazônia. “O evento de 3 de outubro é o ápice de um caminho de mulheres religiosas em todo o mundo que foram convidadas a Roma para falar de suas experiências e suas demandas de igualdade tanto em liderança como em tomada de decisões na Igreja católica”, apontou à Europa Press Stephanie Lorenzo, diretora de comunicações da Voices of Faith, uma das associações feministas mais ativas dentro da Igreja Católica. Suas reivindicações nasceram quando no último Sínodo dos Jovens, apenas uma dúzia de mulheres participaram nos debates, porém nenhuma delas pode votar o texto final.

Nesse momento, a União de Superioras Gerais (UISG) urgiu aos organizadores da assembleia sinodal para que mudassem a norma para permitir ao menos, que as representantes das Congregações religiosas que participavam pudessem votar. “O Sínodo da Amazônia, que começaram ao início de outubro, é chave para a Igreja Católica e nenhuma mulher tem capacidade de voto. Ainda que esses caminhos afetem também as religiosas e a congregações femininas. Há 180 padres sinodais com direito a voto, e nenhum é mulher. O que é o que está perdendo nossa igreja sem a experiência, habilidades, talentos e dons da metade de seus membros? Queremos chamar a atenção sobre esse fato e sobre a falta de mulheres nas posições de tomada de decisões em toda a Igreja”, especifica Lorenzo.

O voto nos debates sinodais é um passo que já se conseguiu para os religiosos, porém que segue vetado às mulheres. “Isso é incorreto e injusto porque os irmãos religiosos têm o mesmo status canônico que as religiosas superiores. Somente pedimos igualdade e inclusão”, assegura.

Por isso, lançaram um vídeo e uma petição através de sua rede na qual clamam pela igualdade de direitos e responsabilidades no seio da Igreja. No evento de 3 de outubro tomarão voz uma dezena de religiosas de todo o mundo, entre elas a catalã Teresa Forcades.

No entanto, ainda não obtiveram resposta alguma: “No ano passado participamos na petição global através da Internet #votesforcatholicwomen onde novamente instamos a que as mulheres religiosas pudessem ter direito a voto no Sínodo. Conseguimos mais de 9600 assinaturas que mandamos ao escritório do Sínodo, mas que ainda não obtivemos resposta nenhuma. Esperamos que toda resposta não seja somente de palavras, mas sim de ações concretas”, conclui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mulheres católicas se manifestarão na próxima quinta-feira na Praça de São Pedro para reivindicar plena igualdade na Igreja - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV