Concentrações de antibióticos encontrados em alguns dos rios do mundo ultrapassam os níveis ‘seguros’ em até 300 vezes

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • 15 de agosto de 1222: o sermão de São Francisco. “Os anjos, os homens, os demônios”

    LER MAIS
  • Hoje mais do que nunca, Argentina! A advertência de Noam Chomsky

    LER MAIS
  • Guerra comercial: por que Trump vai perder

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Maio 2019

Antibióticos encontrados em alguns dos rios do mundo ultrapassam níveis ‘seguros’, segundo estudo global.

A informação é de University of York, publicada por EcoDebate, 28-05-2019. A tradução e edição são de Henrique Cortez.

Os pesquisadores procuraram 14 antibióticos comumente usados em rios em 72 países em seis continentes e encontraram antibióticos em 65% dos locais monitorados.

O metronidazol, que é usado para tratar infecções bacterianas, incluindo infecções de pele e boca, excedeu os níveis de segurança pela maior margem, com concentrações em um local em Bangladesh 300 vezes maior do que o nível “seguro”.

No rio Tâmisa e em um de seus afluentes em Londres, os pesquisadores detectaram uma concentração máxima total de antibióticos de 233 nanogramas por litro (ng / l), enquanto em Bangladesh a concentração era 170 vezes maior.

Trimetoprim

O antibiótico mais prevalente foi o trimetoprim, que foi detectado em 307 dos 711 locais testados e é usado principalmente para tratar infecções do trato urinário.

A equipe de pesquisa comparou os dados de monitoramento com os níveis “seguros” estabelecidos recentemente pela AMR Industry Alliance, que, dependendo do antibiótico, variam de 20 a 32.000 ng / l.

A ciproflaxacina, que é usada para tratar uma série de infecções bacterianas, foi o composto que mais frequentemente excedeu os níveis de segurança, ultrapassando o limiar de segurança em 51 locais.

Problema global

A equipe disse que os limites “seguros” foram excedidos com mais frequência na Ásia e na África, mas os locais na Europa, América do Norte e América do Sul também apresentaram níveis de preocupação mostrando que a contaminação por antibióticos era um “problema global”.

Os locais onde os antibióticos excederam em maior grau os níveis “seguros” foram em Bangladesh, Quênia, Gana, Paquistão e Nigéria, enquanto um site na Áustria foi classificado como o mais alto dos locais europeus monitorados.

O estudo revelou que os locais de alto risco eram tipicamente adjacentes a sistemas de tratamento de águas residuais, lixões de lixo ou esgoto e em algumas áreas de turbulência política, incluindo a fronteira israelense e palestina.

Monitoramento

O projeto, liderado pela Universidade de York, foi um grande desafio logístico – com 92 kits de amostragem levados para parceiros em todo o mundo que foram solicitados a coletar amostras de locais ao longo de seu sistema fluvial local.

As amostras foram então congeladas e enviadas de volta para a Universidade de York para testes. Alguns dos rios mais emblemáticos do mundo foram amostrados, incluindo o Chao Phraya, o Danúbio, o Mekong, o Sena, o Tamisa, o Tibre e o Tigre.

John Wilkinson, do Departamento de Meio Ambiente e Geografia , que coordenou o trabalho de monitoramento, disse que nenhum outro estudo foi feito nessa escala. Ele disse: “Até agora, a maior parte do trabalho de monitoramento ambiental para antibióticos foi feito na Europa, na América do Norte e na China. Muitas vezes com apenas um punhado de antibióticos. Nós sabemos muito pouco sobre a escala do problema globalmente.

“Nosso estudo ajuda a preencher essa lacuna de conhecimento chave com dados sendo gerados para países que nunca haviam sido monitorados antes.”

Resistência antimicrobiana

O professor Alistair Boxall, líder temático do Instituto de Sustentabilidade Ambiental de York , disse: “Os resultados são bastante surpreendentes e preocupantes, demonstrando a contaminação generalizada dos sistemas fluviais em todo o mundo com compostos antibióticos.

“Muitos cientistas e formuladores de políticas reconhecem agora o papel do ambiente natural no problema da resistência antimicrobiana. Nossos dados mostram que a contaminação por antibióticos dos rios pode ser um importante contribuinte ”.

“Resolver o problema será um desafio gigantesco e necessitará de investimento em infraestruturas para tratamento de resíduos e águas residuais, regulamentação mais rigorosa e limpeza de locais já contaminados.”

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Concentrações de antibióticos encontrados em alguns dos rios do mundo ultrapassam os níveis ‘seguros’ em até 300 vezes - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV