Leopoldo López deixa a prisão e Guaidó convoca militares contra Maduro: “A hora é agora”

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O Sínodo Mundial é uma preparação para um futuro Concílio, afirma arcebispo de Praga

    LER MAIS
  • Em carta, Bento XVI diz esperar se encontrar com os seus amigos no céu

    LER MAIS
  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Abril 2019

Presidente interino grava mensagem ao lado de López e de homens das Forças Armadas. Maduro diz que está desmobilizando "um pequeno grupo de militares" traidores que quer promover um golpe de Estado.

A informação é publicada por El Pais, 30-04-2019.

O líder oposicionista da Venezuela Leopoldo López, que estava em prisão domiciliar após ser condenado a 13 anos de prisão, foi solto em uma ação promovida por Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino do país pela Assembleia Nacional e por mais de 50 países. Há suspeitas de que Guaidó teve o apoio de segmentos das Forças Armadas. "O momento é agora", disse o autodeclarado presidente em uma mensagem em vídeo postada em suas redes sociais, na qual ele aparece ao lado de Leopoldo López e cercado por homens armados. Os dois convocam os venezuelanos a saírem às ruas. "Neste momento estou me encontrando com as principais unidades militares de nosso Exército, iniciando a fase final da Operação Liberdade", disse ele em um tweet posterior.

Poucos minutos após o apelo de Guaidó, Jorge Rodríguez, o ministro da Informação do regime chavista, informou pelo Twitter que eles estão "confrontando e desativando um pequeno grupo de militares traidores que se posicionaram ... para promover um golpe de Estado, contra a Constituição e a paz da República". No vídeo, publicado por volta das seis da manhã na Venezuela, Guaidó pede a mobilização dos cidadãos da Venezuela contra o regime de Nicolás Maduro.

"Hoje, todos nós queremos construir o futuro de nossos filhos”, disse Guaidó, que já havia convocado uma grande marcha para esta quarta-feira, 1º de maio. "Neste momento, nós chamamos os funcionários públicos para a reconstrução da soberania. Hoje corajosos soldados patrióticos, bravos homens ligados à Constituição, vieram ao nosso chamado, e nós definitivamente nos encontramos nas ruas. cobrir as ruas da Venezuela (...) Hoje as Forças Armadas estão do lado do povo, do lado da Constituição ", afirmou. Guaidó enviou esta mensagem da base aérea de La Carlota, onde convidou a "cessação definitiva da usurpação" de poder pelo regime chavista.

Lopez também falou em suas redes sociais sobre sua libertação pelas forças de segurança leais a Guaidó e, de acordo com o líder venezuelano, pediu protestos. "É hora de conquistar a liberdade, força e fé".

López (Caracas, 29 de abril de 1971) foi preso em fevereiro de 2014 e condenado em setembro de 2015 a cumprir uma sentença de mais de 13 anos de prisão sob a acusação de conspiração para cometer um crime, instigação e destruição de propriedade pública. Ele ficou confinado até julho de 2018, quando conseguiu prisão domiciliar, graça as um processo de negociação pelo ex-presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Leopoldo López deixa a prisão e Guaidó convoca militares contra Maduro: “A hora é agora” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV