‘Vamos mudar o Brasil nem que seja na bala’

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • As sete antífonas do 'Ó': celebrando o mistério da vinda de Jesus

    LER MAIS
  • Dowbor: há saída no labirinto capitalista?

    LER MAIS
  • A vida secreta das árvores e o déficit de natureza

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

03 Setembro 2018

Num sinal preocupante do que pode vir por aí na campanha eleitoral, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável Jair Bolsonaro, respondeu com truculência ao videoclipe que abriu a propaganda do tucano Geraldo Alckmin na TV, nesta sexta-feira, 31. No vídeo, uma bala perfura vários objetos e estanca perto da cabeça de uma criança, com os dizeres “não é na bala que se resolve”, numa referência à proposta de JB de liberar o porte e o uso de armas no País.

A informação é publicada por O Estado de S. Paulo, 01-08-2018.

“Sr. Geraldo Alckmin, vulgo ‘merenda’, essa é a mensagem que o Brasil precisa. Necessitamos de homens e mulheres para botar ordem nesta baderna que pessoas como o senhor insistem em perpetuar”, disse Eduardo, num tuíte acompanhado de um vídeo que ironizava o filme de Alckmin. A publicação foi apagada logo depois, mas internautas já haviam salvado o comentário e o vídeo (veja abaixo). “Vamos mudar o sistema corrupto, nem que seja na bala”, acrescentava Eduardo, sugerindo que seu pai, se ganhar a eleição, poderá recorrer a soluções de força, colocando em xeque a democracia, para implementar suas propostas.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

‘Vamos mudar o Brasil nem que seja na bala’ - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV