Índia. Polícia invade casa de jesuíta ''antinacional''

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Reitor da Unisinos rejeita medalha oferecida pelo Itamaraty

    LER MAIS
  • A Bíblia como vocês nunca leram

    LER MAIS
  • Carta dos epidemiologistas à população brasileira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


01 Setembro 2018

Em uma ação simultânea em várias cidades, a polícia indiana invadiu as casas de nove ativistas dos direitos humanos, incluindo a de um padre jesuíta de 82 anos, e prendeu cinco acusados de apoiar os maoístas envolvidos em atividades antinacionais.

A reportagem é de UCA News, 29-08-2018. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A polícia do Estado de Maharashtra, no dia 28 de agosto, prendeu os ativistas Varavara Rao, de Hyderabad, e Gautam Navlakha, de Délhi. Outros presos foram os advogados ativistas Vernon Gonsalves, de Mumbai, Arun Ferreira, de Thane, e Sudha Bharadwaj, de Faridabad.

No Estado oriental de Jharkhand, a residência do ativista social jesuíta Pe. Stanislaus Lourdusamy foi invadida em Ranchi. Popularmente conhecido como Stan Swamy, ele tem trabalhado entre os povos tribais empobrecidos.

A polícia disse à imprensa que as invasões estavam ligadas a um encontro público realizado em 31 de dezembro de 2017, antes dos violentos confrontos ocorridos entre os dalits e os maratas de casta superior na área de Bhima Koregaon e em várias outras partes de Maharashtra no início de janeiro.

A ação policial se baseou em “algumas provas incriminatórias coletadas durante a nossa investigação” e em documentos recuperados de outros cinco ativistas presos no dia 6 de junho, disse o comissário de polícia de Pune, Shuneji Bodkhe.

A polícia informou a um tribunal no dia 7 de junho que uma investigação havia revelado um complô maoísta para executar um incidente do tipo “Rajiv Gandhi”, que a mídia interpretou como um plano para assassinar o primeiro-ministro, Narendra Modi, em um atentado suicida como o que matou o ex-primeiro-ministro Gandhi em 1991.

A polícia visitou o centro de serviço social dos jesuítas em Ranchi às 6h da manhã e invadiu o quarto do Pe. Swamy, contou o Pe. Davis Solomon, diretor do centro.

Eles chegaram sem qualquer aviso prévio nem um mandado de busca e revistaram tanto o escritório quanto os aposentos residenciais, disse. O Pe. Swamy foi interrogado, mas não foi preso.

A polícia apreendeu o seu computador portátil, cartões de telefone, iPod, CDs, pendrive, publicações, documentos de pesquisa, livros e comunicados de imprensa, entre outras coisas, disse o Pe. Solomon.

Embora a polícia não tivesse nenhum mandado de busca emitido por um tribunal, a invasão foi realizada com uma “ordem de busca” emitida pelo comissário de polícia de Pune no dia 24 de agosto.

Os crimes registrados contra o padre incluem envolvimento em terrorismo, conspiração, apoio a organizações terroristas e arrecadação de fundos para elas. Se forem comprovados, o padre idoso poderia ficar preso por décadas.

“O Pe. Swamy pesquisa os problemas das pessoas marginalizadas com o objetivo de encontrar soluções práticas”, disse o Pe. Solomon, acrescentando que o seu coirmão tem trabalhado com o povo tribal Santhal há décadas.

Ele disse que o Pe. Swamy nem havia visitado Bhima Koregaon. “Como ele pode fazer parte de qualquer conspiração?”, perguntou.

Lideranças da Igreja e ativistas dos direitos humanos suspeitam de um complô para intimidar os ativistas com ambições políticas nas eleições gerais, previstas para o começo do ano que vem.

“Essas invasões parecem ter sido conduzidas para aterrorizar os ativistas. Mas isso abalará a fé de comunidades como os dalits, povos indígenas e outros pelos quais esses ativistas estão falando”, disse Dom Theodore Mascarenhas, secretário-geral da Conferência Episcopal Indiana.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Índia. Polícia invade casa de jesuíta ''antinacional'' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV