Francisco trará esperança à Irlanda em meio a escândalos de abuso, aposta cardeal Parolin

Revista ihu on-line

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

Mais Lidos

  • A “mediocracia brasileira” e o Brasil que não hesita em resistir. Artigo de Augusto Jobim do Amaral

    LER MAIS
  • A última primeira missa de Ernesto Cardenal

    LER MAIS
  • "O Papa Francisco é fundamental para que outro genocídio na Amazônia não volte a acontecer". Entrevista com José Gregório Díaz Mirabal

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

23 Agosto 2018

Apenas três dias antes da chegada do Papa Francisco à Irlanda, seu principal assessor disse que a Igreja Católica foi "profundamente afligida" por escândalos de abuso sexual clerical, e que a "primeira responsabilidade" da Igreja é a aproximação das vítimas e que o pontífice trará à Irlanda uma mensagem de "esperança".

A reportagem é de John L. Allen Jr., publicada por Crux, 22-08-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen.

"Acredito que fomos, e continuamos sendo, profundamente afligidos por esse fenômeno que teve um impacto devastador no testemunho da Igreja", disse o cardeal italiano Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano em entrevista ao Vatican News.

"O Papa sempre insistiu que nossa primeira responsabilidade, nosso primeiro compromisso, é estar perto das vítimas para ajudá-las a reconstruir suas vidas", disse Parolin.

"Acredito que a Igreja na Irlanda reconheceu seus fracassos, seus erros, seus pecados e, ao mesmo tempo, também adotou uma série de medidas que podem impedir que essas atrocidades aconteçam novamente", disse Parolin.

Apesar das nuvens de tempestade que se acumularam durante o Encontro Mundial das Famílias, em Dublin, marcado para uma visita papal neste fim de semana, Parolin insistiu que a presença de Francisco levaria esperança.

“Acredito que a visita do Papa na Irlanda acontecerá sob o signo da esperança, e essa capacidade de esperança, e sobretudo de confiança, que eu chamo de poder libertador, transformador e salvador de Deus. E é precisamente este poder que se encontra nas famílias”, ressaltou Parolin.

Em termos do amplo tema do Encontro Mundial, que acontece de quarta a sexta-feira, Parolin disse que será apresentado o “rico ensino da Igreja sobre o tema da família”.

Parolin disse que o evento vai “sublinhar o papel essencial, o lugar essencial, a família na Igreja e na sociedade, além de apoiar a missão familiar como uma realidade de amor, de fidelidade e de apoio ao educar as pessoas com a fé”.

O Encontro Mundial das Famílias começa hoje com uma variedade de painéis e workshops.

O discurso inaugural de quarta-feira seria realizado pelo cardeal Donald Wuerl, de Washington, que foi forçado a não participar após indícios de ter encoberto acusações de abuso contra o clero enquanto atuava como bispo de Pittsburgh - de 1998 a 2006.

Wuerl será substituído pelo arcebispo Eamon Martin, de Armagh, da Irlanda.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco trará esperança à Irlanda em meio a escândalos de abuso, aposta cardeal Parolin - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV