O bispo, a freira e o missionário: a resistência não violenta às ordens injustas contra os migrantes

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • A CNBB urge o governo a tomar “medidas sérias para salvar uma região determinante no equilíbrio ecológico do planeta”

    LER MAIS
  • Planeta em chamas. Artigo de Eliane Brum

    LER MAIS
  • 10 mapas e imagens de satélite internacionais que mostram a dimensão das queimadas no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Julho 2018

Os três religiosos evocam o asilo político: que as Igrejas acolham e protejam os migrantes que o governo italiano quer expulsar para países onde eles correm o risco de morte.

A reportagem é de Globalist, 24-07-2018. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Contra as políticas do governo italiano e da União Europeia em relação aos migrantes, três religiosos – o bispo de Caserta, Raffaele Nogaro, o missionário comboniano Alex Zanotelli e a Ir. Rita Giaretta, da Casa Ruth – assinaram uma declaração em que preveem “um sério movimento não violento de resistência a leis ou ordens injustas”.

“Relançamos o Sanctuary Movement, o movimento do asilo político, difundido nos Estados Unidos, onde as Igrejas acolhem aqueles que devem ser expulsos do país e os protegem.”

“O Estado da Califórnia”, afirma-se também, “declarou-se agora Estado-refúgio para salvar aqueles que Trump quer expulsar. Por que não podemos fazer isso também na Itália, diante da ameaça de expulsões em massa aos países nos quais a vida está em risco?”

“Apelamos – escrevem – às famílias para que se abram para acolher migrantes nas suas casas, como já fizeram algumas famílias, presenteando-nos uma acolhida mais humana. Só assim, partindo de baixo e unindo as forças, poderemos responder aos desafios de um momento tão crítico para o nosso país e para a Europa.”

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O bispo, a freira e o missionário: a resistência não violenta às ordens injustas contra os migrantes - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV