MT tem 3 mil focos de incêndio nos primeiros cinco meses do ano

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Um novo documento anti-Francisco com cem assinaturas: “Atos sacrílegos durante o Sínodo, precisa se arrepender”

    LER MAIS
  • Plano de Guedes constitucionaliza drenagem de recursos dos pobres para os ricos

    LER MAIS
  • Por que o fim do DPVAT é mais um golpe no financiamento do SUS

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Junho 2018

Só em Cuiabá foram 213 pontos de queimadas. Semana de Prevenção e Combate aos Incêndios e Queimadas Urbanas em Mato Grosso teve início nesta segunda-feira (25).

A reportagem é publicada por G1, 25-06-2018.

Começou nesta segunda-feira (25) a Semana de Prevenção e Combate aos Incêndios e Queimadas Urbanas em Mato Grosso. Entre os meses de janeiro e maio deste ano, foram registrados mais de três mil focos de incêndio em todo o estado e 213 apenas em Cuiabá.


Em Cuiabá, foram 213 pontos de queimadas (Foto: Corpo de Bombeiros-MT/ Assessoria)

Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros Ricardo Bezerra, a semana de combate deve se estender até o dia 2 de julho. Ele explicou que as 19 bases operacionais estão orientando crianças e adolescentes nas escolas, além de realizar palestra para conscientizar a população.

“As bases regionais estão fazendo orientações nas escolas. As queimadas podem comprometer redes elétricas e principalmente a saúde”, disse.

Na zona urbana, as queimadas são proibidas durante todo o ano. O responsável por incêndios em terrenos pode ser multado em até R$ 3 mil.

Cerca de 87% dos focos de calor são registrados em áreas particulares, como fazendas, terrenos e quintais.

No inverno, a necessidade é maior por conta do tempo seco, principalmente para quem faz atividade física. Hidratação das mucosas, pele, boca, respiração e rins são algumas das dicas para amenizar a situação.

O inverno com baixa umidade relativa do ar aumenta o número de queimadas e os médicos alertam são para os riscos, principalmente com a fumaça e a fuligem, muito comuns nessa época.

A orientação é tentar evitar a entrada da fumaça nos ambientes fechados, fechando janelas ou portas e, se possível, aumentar a umidade relativa do ar dentro de casa, com o uso de umidificadores.

Além do incômodo, os sintomas mais graves são tosse e falta de ar, que requerem cuidado maior e orientação médica.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

MT tem 3 mil focos de incêndio nos primeiros cinco meses do ano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV